Vencendo a Intimidação

Um dos maiores inimigos de nossa era é a intimidação. A intimidação lhe põe na defensiva e torna inefetivos os dons que Deus lhe deu. Ela faz com que as pessoas recuem, retraiam-se, anulem-se. O objetivo da intimidação é lhe paralizar. Há muita gente que foi reprimida a vida toda e vive sob ameaça constante. Golias agia sob um espírito de intimidação. Ele tentou intimidar Davi com suas palavras. Você é controlado por aquilo que lhe intimida. Moisés enviou espias para observar a terra e eles ficaram apavorados por causa dos gigantes. Se você se sente intimidado pelo diabo, ele pode controlá-lo. Elias venceu uma nação inteira, enfrentou o rei e seus exércitos, prevaleceu contra 850 falsos profetas, mas ficou tímido diante de uma mulher possuída por um espírito de feiticaria. O profeta se sentiu desanimado, confuso e fraco, pedindo a morte por causa das ameaças de Jezabel. Há pessoas tentando lhe manipular? Controlar você pela intimidação? Desânimo, confusão, fraqueza, cansaço, podem ser sintomas de alguém sob efeito da intimidação.

          Há pessoas que ganham a vida intimidando as pessoas. Elas intimidam seus líderes para conseguir o que querem. Fingem ser submissas, até que as coisas não saiam como elas querem. Quantos já não sentiram uma resistência na atmosfera? Davi foi atacado pela intimidação dentro de casa, pela sua própria familia. Seu irmão mais velho, Eliabe estava intimidado por Golias e tentou intimidar Davi. Eliabe atacou o irmão naquilo que era exatamente sua fraqueza. Pessoas intimidadas tentam transferir sua intimidação para outros. Hoje há muitos pais intimidados por seus próprios filhos. Pastores intimidados pelo povo. Uma pessoa intimidada, submete-se àquilo que a intimida. Quando um líder abdica da sua autoridade, todos sob seu comando sofrem. O sacerdote Eli ficou intimidado em confrontar seus filhos. A confrontação exigia desgaste. Eli temeu mais seus filhos do que a Deus e o resultado foi fatal. Quando você abre mão da sua autoridade, alguém vai exercê-la ilegitimamente. Quando renuncia a sua autoridade, você abafa seus dons. Você honra aquilo que teme.

Desperta o dom de Deus que há em ti pela imposição de minhas mãos. Porque Deus não nos deu espírito de temor, mas de poder, de moderação e de amor. (2 Timóteo 1.6-7)

A palavra grega para despertar é anazupureo que significa “acender” e a palavra temor aqui é deilia que significa “timidez” ou “intimidação”. O princípio é que seus dons podem estar adormecidos por causa da timidez ou da intimidação. Ao ficar intimidados agimos sob o medo e não sob a fé. A pressão tem um poder revelador. Saul sob pressão demonstrou covardia. Covardia significa medo desprezível diante da dor ou do perigo. No episódio dos amalequitas, ao invés de orientá-los no caminho, o rei ficou intimidado pelas pessoas. Há líderes cujo deus é a popularidade — eles agem a fim de preservar a sua imagem perante as pessoas. O sacerdote Arão no episódio do bezerro de ouro temeu mais ao povo do que a Deus. Para manter a sua popularidade, ofendeu ao Senhor para não ofender ao homem. A raiz do temor do homem é o amor por si mesmo. Mas, lembre-se: Deus não nos deu espírito de temor, mas de poder, de moderação e de amor.

Portanto, ande na autoridade que lhe foi dada por Deus e não se intimide com os homens, nem com demônios. Permaneça na sua posição de autoridade. Identifique o espírito de intimidação e se recuse a ficar sob seu controle. Decida quem controla seu ambiente espiritual. Ficar intimidado é agir sob o medo — mas o perfeito amor lança fora o medo.

Onde existe amor, não pode existir o medo. A intimidação tem que ser confrontada, pois aquilo que você tolera, você não pode mudar. Você acaba servindo àquilo que teme.