“Um novo dia nasce primeiro no interior de cada um de nós”, diz JB Carvalho no 2º dia do Profetizando

"Seu movimento ergue os céus para plena restauração! Esta é a era da transfiguração da igreja. As sementes que agregam valor, estão dentro de nós, porque o espírito do homem é a lâmpada do Senhor"

Leobark/CN

O segundo dia do Profetizando 22 começou com o pastor Thiago Carneiro, liberando uma palavra inspirada em Salmos 51:17 – “Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus“. Thiago destacou que Deus tem o poder para mudar histórias e circunstâncias. “Jesus é Aquele cujo rosto brilha como o sol do meio dia e este sol invade sua vida, sua casa, entra no seu corpo, purifica seu sangue, cura, transforma realidades, entra em áreas escuras e te toma pelas mãos. Você foi criado para expressar a natureza daquele que te criou!”, declarou.

Leobark/CN

A adoração foi liderada por Thomas Jefferson e banda, que trouxe uma atmosfera de liberdade no Espírito, acompanhado com as coreografias do ministério de Artes da Comunidade das Nações Cia Vivus.

Em seguida, o pastor Filipe Otoni da CN Aphaville (SP) ministrou sobre encontros espirituais. E trouxe como exemplo, a vida de Jacó, que teve um encontro espiritual, onde a eternidade invadiu sua realidade momentânea.

“Deus prometeu dar aquela terra, pois queria mostrar o futuro que Ele desejava manifestar. Esse encontro mudou sua vida para sempre. Muitos têm suas vidas modificadas, por causa de um encontro espiritual. Esta atmosfera de culto é propícia, pois o céu se conecta à terra pela atração da presença de Deus. Nesta atmosfera espiritual, enxergamos o nosso futuro. Por meio de um encontro espiritual, Abraão recebeu a promessa de uma descendência poderosa; Zacarias recebeu a promessa do seu filho; Saul se encontra com Samuel e volta como rei de uma nação; Moisés foi transformado, recebendo a direção para libertar o povo de Israel do Egito, Jacó teve a sua experiência de luta, até receber a promessa, Ana recebeu a profecia do sacerdote Eli. O encontro espiritual tem o poder de nos mudar para sempre. Não estamos aqui para, simplesmente, participar de um culto, mas, para termos encontros espirituais e gerarmos o futuro por meio de palavras proféticas. Deus nos dará sonhos, mostrará realidades, pintará quadros acerca daquilo que Ele quer realizar”, profetizou.

Leobark/CN

Como anunciado na noite anterior, o bispo JB Carvalho disse que traria uma palavra muito importante para o segundo dia do Profetizando 22. Ele começou sua ministração lendo o Salmos 110:1-7 e disse que 2022 está repleto de eventos importantes e será o bicentenário da independência, ano de eleições e ano de Copa do Mundo. “O Espírito Santo veio para nos guiar a toda a verdade. Nesta caminhada, Ele nos compartilha o futuro, pois Deus nada faz na terra sem primeiro revelar seus planos aos profetas. Isso é extraordinariamente incrível! Um Deus tão grande e poderoso, relacionar-se com o homem, contar seus segredos e articular seus feitos. Devemos atentar às palavras proféticas daqueles que mantém um espírito manso e alinhado com Deus“, disse.

Para JB, a passagem lida percorre as Escrituras, inclusive, está presente na teologia de Paulo. “Jesus governa até que todos os seus inimigos sejam a Ele submetidos! Ele é da ordem de Melquisedeque, Rei de justiça e paz. Jesus é o príncipe da paz, mas, também, vem para julgar. Entenda que a paz só pode ser estabelecida por meio de um governo justo, apto à prática da justiça. Logo, não existe paz sem justiça“, ressaltou. Tudo o que não for purificado pelo sangue do Cordeiro de paz, será purificado por meio do fogo da justiça. Sua obra será manifesta, porquanto o Dia a trará à luz; pois será revelada pelo fogo, que provará a qualidade da obra de cada um. (1 Coríntios 3:13)

Em 2022, travaremos a batalha de sacerdócio e intercessão

O bispo disse que o grande símbolo de perversão estabelecido na terra, foi a torre de Babel e, por meio dela, aqueles homens se comunicavam com o mundo espiritual das trevas. Aquela foi a primeira tentativa de unificar a religião, a economia e o sistema político. Foi a primeira visão globalista de mundo, por meio de um supremo líder com ambições de culto. “Hoje, esta torre é pretendida por alguns personagens que se auto celebram como suplentes da divindade. Não é algo novo. Na torre de babel havia registros de pedras com a face de um homem, a quem os historiadores chamam de Ninrode. Cuxe gerou Ninrode, que começou a ser poderoso na terra. Foi valente caçador diante do SENHOR”, disse. Daí dizer-se: “Como Ninrode, poderoso caçador diante do SENHOR.  (Gênesis 10:8)

Ele esclareceu que a palavra “diante”, no texto original, não se trata de uma expressão amistosa, mas significa “afronta” e “rebelião”. Ninrode se rebelava e exercia seu poder para incitar o povo à rebeldia. Existem lendas, representações e simbologias pagãs. No humanismo, Babel é o símbolo do egocentrismo, como dizem as escrituras: Disseram: Vinde, edifiquemos para nós uma cidade e uma torre cujo tope chegue até aos céus e tornemos célebre o nosso nome, para que não sejamos espalhados por toda a terra. (Genesis 11:4)

Leobark/CN

E ainda inteirou que, o historiador Flávio Josefo, em seu livro “História dos Hebreus”, descreve que, ainda com memória recente do dilúvio, Ninrode discursa contra Deus diante do povo, aclamando que, com uma torre tão alta, Ele não seria capaz de afogá-los novamente. Desafiava a autoridade divina, praguejando e apontando suas flechas contra os céus. Deus havia determinado o povoamento da terra (Gen. 1.28; 9.1,7; 11:4), mas a rebeldia da construção da torre era expressa: não sejamos espalhados por sobre a terra. “O plano era uma aparente unificação. Encaixotar, submeter todos a uma dominação comum, a um nome terreno e a entidades espirituais, suprimir a individualidade e impedir a singularidade. Eram pedras de tijolos, ligados por betume, formando uma estrutura única, com falsa unidade”, comentou.

As mesmas entidades hoje querem nos subjugar, matando nossa individualidade, suprimindo nosso potencial de expansão, como se a prisão utópica de uma igualdade forçada fosse capaz de imprimir justiça. Para isso, trabalham com reengenharia verbal, procurando inserir no sistema de crenças da nossa geração uma nova mentalidade. Então, se não conseguem um domínio claro, batalham numa guerra cultural de conceitos e valores invertidos, quebrando parâmetros de certo e errado“, ressaltou.

Segundo ele, a uniformidade arranca nossa dignidade, impede “a manifestação de quem somos, suprime nosso potencial”. “A proposta é única: renuncie a ela e entre na forma pré-moldada de determinada linguagem de ações, imposta por alguém que se considera superior e mais inteligente. Na verdade, esse alguém não quer que os outros descubram do que são capazes, caso contrário, não haverá subjugação. As nações estariam resumidas sobre uma única égide: Ninrode no topo seria a personificação desses elementos espirituais. Mais tarde, os faraós se considerariam deuses. Os Césares se dignificavam ligando os mortais à transcendência. A régua estava posta. Ao acessar os conselhos demoníacos, eles desejavam poder para dominar a estrutura da terra, baseados em um conceito socialista de mundo, que sempre culmina em ditadura e despotismo, fazendo de todos uma massa, robôs, fantoches, soldados de chumbo“, disse.

JB explicou que a “elite” de Davos fala sobre a criação de uma poderosa centralizada tecnocracia global. “Apostam em “O Grande Reset”. Trata-se de um grupo de megaempresários, políticos e intelectuais que querem escrever uma agenda mundial, a fim de determinar diretrizes obrigatórias para controle climático, a recalibração de moedas, redistribuição de riquezas, igualdade salarial, reconfiguração da família, com uma agência reguladora mundial para punir as nações dissidentes. A cultura está sendo pesada. Essa “elite” parece avançar sem resistência, para impor uma agenda, querendo nos fazer acreditar que eles sabem o que é melhor para nós, mais do que nós mesmos. É a Torre de Babel e o anticristo da hora, no entanto, a história nos mostra como terminou e aponta como há de terminar essa tentativa de construção: em uma grande confusão! Em Babel tínhamos línguas divididas e em pentecostes, língua unificada. O rei de Salém, rei de justiça, também era sacerdote de paz“, ressaltou.

Ele ainda destacou que hoje, existe uma agenda para reconfigurar a família, além de diversas outras transformações. “Especificamente no Brasil, temos uma guerra espiritual e não superficial. Perceba que um sacerdote não tem o perfil para transformar a sociedade, mas um rei tem. A fusão das duas funções tem o poder de alinhar o céu à terra, pela invocação de um mundo vindouro. Jesus é o Leão de Judá, mas, também, é Cordeiro e, como primogênito entre muitos irmãos, nós temos o chamado para manifestar as duas facetas: reis e sacerdotes“, destacou. Ele nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai, a ele, glória e poder para todo o sempre. Amém! (Apocalipse 1:6)

E também lembrou que nos dias atuais existe um sistema de injustiça, sendo julgado por reis e sacerdotes, para que em 2022 haja uma ocupação territorial em massa: no governo, nas escolas, nas empresas, nas ruas, nos shoppings, nas praças, em todos os lugares veremos a manifestação do Reino de Deus. “Este é um tempo de definição, quando não existirá mais o lugar “em cima do muro”. Elias afetou a ordem da natureza, foi protegido e cuidado sob o comando de Deus. Nós podemos operar milagres novamente, a fim de transformar a economia do mundo! Deus não tem um plano “b”, Ele tem uma igreja que se torna forte e faz proezas“, disse.

Leobark/CN

JB Carvalho ainda listou alguns versículos relacionados a este mover na Bíblia:

Deus brilhará no brilho dos seus santos!

Vós sois a luz do mundo. Uma cidade edificada sobre um monte não pode ser escondida. Igualmente não se acende uma candeia para colocá-la debaixo de um cesto. Ao contrário, coloca-se no velador e, assim, ilumina a todos os que estão na casa. Assim deixai a vossa luz resplandecer diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai que está nos céus. A Lei se cumpre em Cristo. (Mateus 5:14-16)

Na hora mais escura da noite, Deus emerge um povo poderoso na terra

Quem é esta que aparece como a alva do dia, formosa como a lua, brilhante como o sol, formidável como um exército com bandeiras? (Cantares 6:10)

A noiva se adorna para o seu encontro com o noivo

Tu és sacerdote para todo o sempre, conforme a ordem de Melquisedeque. (Hebreus 5:6)

Leobark/CN

Reis e sacerdotes dominam e sujeitam

Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra. (Mateus 5:5)

O bispo destacou que manso é aquele capaz de crescer, ser popular, muito reconhecido e, ainda assim, permanecer humilde, quebrantado e simples. É aquele que controla a soberba, exerce domínio sobre a altivez do espírito. “Muitos se desenvolvem alinhados à Mamon, deus do dinheiro, Belzebu, deus da religião, da auto justificação. O que deveria expandir nossos mundos, enviesou, cortou a amplitude da visão. Você não precisa ser satanista para adorar satanás. Apenas, adore a si, seja o centro em honra, para ser um diabo. O diabo mostra os reinos do mundo a Jesus. Isto significa que os reinos do mundo chamavam a sua atenção. Era a melhor cartada do inimigo, entregar o que Jesus veio buscar de forma fácil, sem sofrimento, sem entrega, sem dependência. Não se engane: a proposta de um reino sem cruz está em voga. Então, cuidado para não negociar seus princípios”, alertou.

E o sétimo anjo tocou a sua trombeta, e houve no céu grandes vozes, que diziam: Os reinos do mundo vieram a ser de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará para todo o sempre. (Apocalipse 11:15)

Veja novamente o texto da tentação:

Novamente o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles. E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. (Mateus 4:8,9)

Segundo JB, Satanás nada cria, pois ele não tem esse poder. “Tudo o que ele deseja é ser semelhante ao Altíssimo e, por isso, imita Deus em tudo, centralizando em si a adoração. Se ele disse – Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares – significa que a adoração é a chave mestra para a obtenção dos reinos do mundo. O poder só pode ser entregue a quem é capaz de se prostrar. Somos sacerdotes da graça, no entanto, graça não é um crédito que pode ser gasto sem limites. Graça tem custo. A graça do nosso resgate custou a vida do filho de Deus. É a liberação, o pagamento de um valor que não possuímos, é preencher o que me falta: amor, justiça, paz, idoneidade etc“, afirmou.

Nós possuímos uma linhagem espiritual

Vocês, porém, são geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo exclusivo de Deus, para anunciar as grandezas daquele que os chamou das trevas para a sua maravilhosa luz. (1 Pedro 2:9)

Jesus possui uma linhagem espiritual segundo a ordem de Melquisedeque

O que acabamos de dizer fica ainda mais claro quando aparece outro sacerdote semelhante a Melquisedeque, alguém que se tornou sacerdote, não por regras relativas à linhagem, mas segundo o poder de uma vida indestrutível. Porquanto sobre ele é afirmado: “Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque”. (Hebreus 7:15)

O bispo lembrou que, “se fomos feitos da família de Deus, temos a mesma linhagem espiritual de Jesus e estamos sob a ordem de Melquisedeque, também“. “Jesus terminou uma era, destruiu o templo do seu corpo. Hoje, nós somos sua extensão, o seu corpo. Não há um terceiro templo no monte, pois Jesus foi o sacrifício perfeito. A luz brilhou nas trevas e elas não puderam prevalecer“, destacou.

Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens; a luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela. (João 1:4,5)

A graça dissipa as trevas e faz surgir um novo dia. Quando as chaves são viradas dentro de nós, tudo à nossa volta começa a mudar. A escuridão é vencida pela luz do amanhecer. Aos quais Deus quis fazer conhecer quais são as riquezas da glória deste mistério entre os gentios, que é Cristo em vós, esperança da glória; (Colossenses 1:27)

Os que forem sábios, pois, resplandecerão como o fulgor do firmamento; e os que a muitos ensinam a justiça, como as estrelas sempre e eternamente. (Daniel 12:3)

O menor virá a ser mil, e o mínimo uma nação forte; eu, o Senhor, ao seu tempo o farei prontamente. (Isaías 60:22)

Pior do que aqueles que partiram, são os que ficaram sufocados pelo medo e contaminados pela murmuração.
A língua tem poder sobre a vida e sobre a morte; os que a usam habilmente serão recompensados.
(Provérbios 18:21)

JB ressaltou que um rei precisa manter a sua dinastia, transmitindo o seu legado, sua herança moral, seu coração. E profetizou um despertar, “para que a luz possa cobrir a terra como as águas cobrem o mar. Deus possui grande expectativa acerca desse despertar.

Domina no meio dos teus inimigos. (Salmos 110:2)

O chamado de Deus é: Levanta-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do SENHOR vai nascendo sobre ti; (Isaías 60:1)

E encerrou a noite declarando que, “seu movimento ergue os céus para plena restauração! Esta é a era da transfiguração da igreja. As sementes que agregam valor, estão dentro de nós, porque o espírito do homem é a lâmpada do Senhor“.

Nesta sexta-feira (03), o convidado especial da noite no terceiro dia do Profetizando 22, é Jim Garlow – fundador e CEO da Well Versed, Inc. Autor, comunicador, comentarista, historiador, observador cultural e serviu a maior parte de sua vida como pastor. O evento começa a partir das 20h, no CN Hípica Hall em Brasília.

por Vanessa Ribeiro
edição Tiago da Silva

Confira o 2º dia do Profetizando 22 no canal da Comunidade das Nações no Youtube