“Um homem e uma mulher, em aliança de casamento, é a expressão do próprio Deus”, diz Jim Garlow

"Tenha como objetivo vivenciar um casamento que seja a representação do espiritual, entre Cristo e a igreja. Precisamos de retratos que apontam o culminar de uma grande história. Seja esse modelo", diz Jim Garlow

Luis Felipe/CN


O terceiro dia do Profetizando 22 foi iniciado com uma palavra do pastor Paulo Smith. Ele destacou que a atmosfera da CN é onde palavras viram decretos. “Existe uma chave, uma palavra que desenha um futuro quântico. Acesse o transcendente espiritual. Qual é o nome do seu 2022? pode ser shalom – nada quebrado, nada faltando, nada fora do lugar – , medida transbordante ou força na naquele que te fortalece”, profetizou Smith

Luis Felipe/CN

O louvor ficou por conta da Fluir Worship, banda da Comunidade das Nações que tem como propósito dar liberdade total ao Espírito Santo durante suas ministrações para que sejam usados e ouçam o que Deus quer falar para igreja através da adoração.

Luis Felipe/CN

Em seguida, o pastor Filipe Otoni fez o profético enfatizando que uma das declarações mais fortes da Palavra, é a de Isaias:

No ano em que morreu o rei Uzias, eu vi também ao Senhor assentado sobre um alto e sublime trono; e a cauda do seu manto enchia o templo. Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas; com duas cobriam os seus rostos, e com duas cobriam os seus pés, e com duas voavam. E clamavam uns aos outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória. (Isaías 6:1-3)

“Consegue perceber a orla, a graça, o Espírito, essa atmosfera? Faça do levantar das suas mãos o seu altar de adoração.
A sua adoração confunde os seus inimigos. Deus se mostra grande, diante dos seus inimigos!”, disse Otoni.

A palavra de oferta foi dada pela pastora Insana: “Deus já está no seu 2022. Vemos em Hebreus, que Deus rememora homens e mulheres, denominando como homens que venceram, verdadeiros heróis! Mas, existe um herói da fé que pouco citamos. Trata-se de Abel. Pela fé, Abel ofereceu a Deus maior sacrifício do que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho dos seus dons, e por ela, depois de morto, ainda fala”, disse.


“Apesar de pouco nos lembrarmos deste herói, ele ficou marcado na memória de Deus. O grande feito de Abel foi a entrega de uma oferta. Ele entregou o que tinha de melhor e ficou marcada para sempre na história.
A sua entrega vai efetuar um registro nos céus. Como CN, estamos na memória do Senhor. Melhor do que as pessoas se lembrarem de nós, é estarmos na memória de Deus. Mesmo que você esteja passando por um momento de escassez, creia que Deus fará algo novo. Isaque semeou na terra e colheu cem vezes mais. De repente, Deus pode fazer um milagre”, destacou a pastora.

Luis Felipe/CN



Ao apresentar o preletor da noite o bispo JB Carvalho, lembrou os presentes que “para ser salvo por Jesus não te custa nada, mas ser discípulo te custa tudo”. Ele ainda destacou que quando as pessoas encontram Jesus, de forma genuína, elas se realizam por meio de uma completa entrega. “Muitos tem uma religião, mas Deus quer ter um encontro conosco”, disse.

O preletor da noite, Jim Garlow, é fundador e CEO da Well Versed, Inc. Autor, comunicador, comentarista, historiador, observador cultural e serviu a maior parte de sua vida como pastor. Ele começou falando que o Brasil é uma das nações do mundo que está num momento especial. E agradeceu ao bispo JB Carvalho e a editora Chara pela publicação do seu último livro: “Não seja manipulado“, em tempo recorde. O livro fala como o cristão deve estar bem versado na palavra de Deus e como deve se posicionar diante das polêmicas da atualidade no mundo.

Luis Felipe/CN

O Casamento

Ao iniciar sua ministração, ao lado do pastor e tradutor Vitor Morais, Jim questionou os presentes sobre a temática do “casamento heterossexual”, e perguntou: “Por que existem tantos embates? Por qual motivo existe uma agenda, tão bem programada, infiltrando a ideia da união homossexual, como algo natural, com tanta força?”.

E respondeu: “Porque este tema vai muito além do que uma simples questão ideológica, política ou sociológica. Trata-se de um assunto altamente espiritual. Quando nós lemos a bíblia, verificamos que a história se inicia em gênesis, com um tipo de casamento e termina, em apocalipse, com outro tipo de casamento. Também, todas as passagens que tratam do tema, se referem ao relacionamento amoroso, como algo exclusivo de sexos opostos. Veementemente, a bíblia rechaça a união entre pessoas do mesmo sexo“, declarou.

Quanto a Deus, alguns tentam descrevê-lo, mas Ele é indescritível, imensurável, extraordinário. Deus não possui sexo. Analisando as Escrituras, vemos que Deus facilmente transita, tanto em funções femininas – como quem alimenta, amamenta e entra em dores de parto – quanto em funções masculinas – como Deus forte e poderoso guerreiro.
Em Gênesis dezessete, podemos captar a essência de Deus através de um nome: El (forte) Shaday (quem nutre, quem amamenta). Este nome apresenta as duas facetas de Deus. Por este motivo, não podemos dizer que Deus é essencialmente homem ou mulher, pois um macho ou uma fêmea não conseguem expressar a totalidade da sua imagem. A verdadeira representação da imagem de Deus, só pode ser expressa pela junção das duas partes.
Sob uma visão tradicional, Deus criou o homem (macho) e, depois, criou a mulher da sua costela. Verificando a linguagem original hebraica, existe um significado espiritual mais profundo
“, disse.

No princípio Deus criou adão

“Olhando para este “adão”, Deus disse: não é bom que a humanidade esteja só. Em “adão” Deus verificou que não era bom à humanidade, ficar sozinha. Perceba que Deus vive em comunhão na trindade, Ele conhece a necessidade que a humanidade tem de relacionar-se. Então, percebeu que adão (humanidade) estava sem relacionamento.

E da costela que o Senhor Deus tomou do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a Adão. (Gênesis 2:22)

Jim destaca que neste versículo, a palavra hebraica para “costela” não se repete mais em toda a escritura. O significado das demais vezes que ela aparece, poderia ser traduzida por “metade”. Então, vimos que Deus criou a humanidade, representada em “adão”. Fazendo uma divisão na humanidade, de um lado temos “Adão” – agora em letra maiúscula – como uma parte da humanidade. Este “Adão” tinha, em si, características específicas de uma das metades complementares, que se chama “macho”. Por este motivo, é natural que exista uma atração entre “macho” e “fêmea”, por causa da completude que a junção traz. Ainda, por meio dessa junção, temos a representação da divindade, daquilo que é pleno.

Segundo Garlow, em hebraico, existem duas letras iguais para a palavra “homem” e “mulher”. “Se tirarmos as duas letras que são diferentes, formamos a palavra “Senhor” que, unido ao nome de Deus, forma-se “Yahweh”. Um homem e uma mulher, em aliança de casamento, é a expressão do próprio Deus, a plena representação da Sua imagem. Um casamento não é um contrato, mas, como o próprio nome em hebraico esclarece, significa: aliança. Também, na extração das letras que formam as palavras “homem” e “mulher”, nos resta a palavra “fogo”. O fogo pode ser bom ou ruim, dependendo da forma como é aproveitado. Para que seja algo bom, ele precisa estar sob controle. O fogo incontrolado destrói tudo à sua volta. Falando em metáfora, o fogo da luxúria de relacionamentos extraconjugais, é destrutivo. Mas, no âmbito conjugal, é poderoso!“, esclarece o pastor.

Aliança

O comunicador ressaltou que a palavra “aliança”, em hebraico, se dividida ao meio e, após a inserção das letras que se traduzem por “fogo”, forma a primeira palavra que vemos em Gênesis 1:1 – “no princípio”. “O povo judeu chama o primeiro livro da bíblia de “princípio”. Nesta palavra, temos o fogo controlado da aliança entre um homem e uma mulher. Este é um bom fogo. A imagem de Deus pode ser verificada, quando inserida dentro da palavra “homem” ou “mulher”. Isso quer dizer que dois homens, quando se unem, não representam a imagem de Deus. Apenas um homem e uma mulher, dentro do contexto da aliança de casamento, podem refletir Deus. Macho e fêmea são as duas metades da humanidade que, em união, apresentam a imagem de Deus. São conexões mentais, espirituais e físicas, expressando força e sensibilidade“, disse.

A união entre um homem e uma mulher gera a vida

A relação sexual, neste caso representada por fogo, produz momentos de êxtase, alegria e plenitude. Isso também tem um significado espiritual. Apocalipse apresenta um final de alegria plena, o clímax de um êxtase espiritual, que só se manifesta com a união entre Cristo e a igreja. Este livro chamado “revelação” representa uma alegre esperança do conhecimento pleno do noivo. Este é o fim da história! Durante tantos anos, nós usamos a figura do relacionamento terreno, como referência ao espiritual, mas, na verdade, devemos trabalhar de forma inversa. A figura do relacionamento espiritual que deve ser parâmetro, para falar sobre o casamento terreno. Este, mostra apenas relances do que há de ocorrer. A intimidade que existe em um relacionamento conjugal, serve de amostras para um casamento, uma intimidade espiritual, que teremos com Jesus“, afirmou.


Agora conheço em parte; então, conhecerei plenamente, da mesma forma como sou plenamente conhecido.
(1 Coríntios 13:12)

“Por melhor que um casamento possa ser, nada se compara com o casamento entre Cristo e a igreja. É algo inescrutável”, declarou Jim.

Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja. (Efésios 5:32)

Neste texto, verificamos que Paulo deixa de se referir a casamentos terrenos, para tratar acerca do grande casamento, entre Jesus e a igreja. Toda a história foi desenhada para preparar a noiva a esta união. Entenda que não existe casamento físico no céu, mas existirá um casamento superior, perfeito e espiritual. O gozo da intimidade física não se compara ao gozo da plenitude da alegria que experimentaremos“, disse.


Tu me farás conhecer a vereda da vida, a alegria plena da tua presença, eterno prazer à tua direita. (Salmos 16:11)


Antes de encerrar, o pastor ainda afirmou que a batalha que se trava contra o grande projeto matrimonial, tem ocorrido por séculos e gerações, e está resumida e expressa no livro de apocalipse. “Nós já sabemos o final da história. Apocalipse revela o enigma de quem vencerá essa guerra, que se trava para destruir a família!! Jesus está fazendo essa precursora e Ele saiu vencendo e para vencer! Tenha como objetivo vivenciar um casamento que seja a representação do espiritual, entre Cristo e a igreja. Precisamos de retratos que apontam o culminar de uma grande história. Seja esse modelo“, finalizou.

Luis Felipe/CN

JB Carvalho finalizou o terceiro dia do Profetizando 22 enfatizando que todo milagre começa dentro de casa. “A mulher que perdeu a sua dracma, só pôde encontrá-la em casa. Em uma festa de casamento, bem no início de uma relação de aliança matrimonial, Jesus faz o seu primeiro milagre, usando algo sem sabor, sem cheiro e sem cor, como base de um milagre que promove alegria, para mostrar que os melhores momentos de prazer, não custam nada.
Assim como a voz dos noivos fazem referência à plenitude de gozo, promova um relacionamento feliz, livre de manipulações
“, disse.

Seja a pessoa certa, manifestando quem é e permita que seu cônjuge, também seja quem ele é. Fomos feitos para expressarmos a glória de Deus em liberdade, através do dom que recebemos, chamado: livre arbítrio.
Faça as escolhas certas, pois nós só podemos vivenciar os resultados delas. Quebrante seu coração, pois o divórcio, fruto do orgulho, não é uma opção. Trilhe essa caminhada em união, construa uma sinergia, prospere e avance, experimentando milagres. Deus quer transformar a água em vinho, mais uma vez
!”, ressaltou o bispo.

por Vanessa Ribeiro
edição Tiago da Silva