Como Superei a Crise Financeira

Acompanhe o testemunho de vida da Bispa Dirce Carvalho

Com esse conteúdo, queremos que você tenha certeza de que fomos feitos para uma vida completa: saudável, próspera e fértil. Lembre-se que Deus honra todas as suas promessas e que cumpre todas as suas leis, incluindo a lei da semeadura e da colheita! Aprenda a plantar sementes sacrificiais, dê nome a elas e prove a fidelidade do Senhor em sua vida.

Ouça o podcast Como Superei a Crise Financeira

O que eu vim trazer hoje não é uma receita pronta, pois cada um aplica verdades e princípios diferentes para vencer suas crises. Mas acredito que podemos ser inspirados pelas experiências das pessoas, por isso vou compartilhar com vocês os princípios que eu apliquei há dezesseis anos para sair de uma crise financeira.

Antes de começarmos, entenda: Não estou propondo apenas um milagre ou um socorro para uma situação pontual, mas quero te ensinar a viver uma vida de prosperidade!

Em nossas vidas, passamos por ciclos necessários para o aprendizado, contudo, quando atingimos os objetivos destes períodos, não precisamos mais repetir o mesmo tempo de deserto, mas podemos acessar a terra prometida!

No capítulo anterior, começamos a meditar sobre o Salmo 18. Quero continuar nele, seguindo a partir do versículo 31. 

“Porque quem é Deus senão o Senhor? E quem é rochedo senão o nosso Deus?

Deus é o que me cinge de força e aperfeiçoa o meu caminho.

Faz os meus pés como os das cervas, e põe-me nas minhas alturas.

Ensina as minhas mãos para a guerra, de sorte que os meus braços quebraram um arco de cobre.

Também me deste o escudo da tua salvação; a tua mão direita me susteve, e a tua mansidão me engrandeceu.

Alargaste os meus passos debaixo de mim, de maneira que os meus artelhos não vacilaram.

Persegui os meus inimigos, e os alcancei; não voltei senão depois de os ter consumido.

Atravessei-os de sorte que não se puderam levantar; caíram debaixo dos meus pés.

Pois me cingiste de força para a peleja; fizeste abater debaixo de mim aqueles que contra mim se levantaram.”

Salmo 18:31-39

Este salmo de Davi nos conta sobre as diversas vezes em que o Homem Segundo o Coração de Deus foi atacado por seus inimigos, nos trazendo uma chave poderosa pra vencer nossas lutas: Deus adestra as nossas mãos para o combate, e prepara para nós caminhos em meio à crise. Vemos então que as provações não são um tempo perdido, senão um período em que podemos aprender grandes lições.

Falando em crise, estamos agora em meio a um cenário mundial desajustado, prejudicial às pessoas e aos negócios. Por isso, quando você pensar que está sozinho em meio às suas dificuldades, olhe ao redor e preste atenção: você não é o único enfrentando um momento difícil e há muitas pessoas dispostas a te ajudar: procure apoio nos lugares certos!

Mas há momentos em que vivemos crises individuais e esta é a história que vou compartilhar com vocês hoje.

Dezesseis anos atrás, depois ter superado o câncer, eu vivia uma situação financeira realmente difícil. Eu estava com um prejuízo de 200 mil reais. Era muito dinheiro para mim na época. Hoje ainda é um valor considerável, mas na época, a quantia era muito mais significativa.

A Comunidade das Nações já estava aberta, havíamos nos estabelecido na Asa Sul, e o câncer estava vencido. Era tempo de enfrentar um outro inimigo.

Releia o Salmo 18 por completo e perceba o seguinte: você passa por uma crise, Deus te livra e, neste período, Deus treina as suas mãos para lutar, então você está preparado para avançar e enfrentar novos inimigos. 

É claro que existem inimigos dos quais Deus te socorre sobrenaturalmente. Foi assim que Deus me livrou do câncer. Eu me submeti a tratamentos médicos, fui medicada, mesmo assim eu poderia não ter sido livrada da metástase, mas eu fui. Esse é o sobrenatural de Deus!

No entanto, existem outros inimigos contra os quais nós é quem temos de batalhar. E esse era o caso da minha dificuldade financeira. 

Eu acreditava em Deus para conceder a minha salvação, acreditava para receber a minha cura, e então eu decidi então acreditar nele da mesma forma para viver a minha prosperidade.

Antes de prosseguirmos, reflita: você acredita em Deus para viver uma vida de prosperidade?

A maior parte das pessoas crê que é salva e que pode ser curada por Deus de modo sobrenatural, mas poucas acreditam que a prosperidade é para elas e muitas pensam que apenas algumas pessoas são agraciadas dessa forma.

Vou te contar uma coisa: acreditar tem a ver com firmar pactos internos. Você fez um quando aceitou Jesus como seu salvador. Você se sente motivado a crer em Deus para a cura quando ouve histórias como a de Lázaro e da mulher do fluxo de sangue, firmando um outro pacto de fé com o Senhor.

Entretanto, muitos duvidam que a prosperidade está ao alcance das suas mãos. Seja por conta de sua história familiar, de seu contexto social ou das crenças limitantes que carrega. Mas o mesmo Jesus que morreu para salvar você o fez para que você seja próspero! Tão somente creia!

O conceito de prosperidade está intimamente ligado ao significado da palavra shalom, qual seja: “nada quebrado, nada faltando, nada fora do lugar”. Esta é a paz que Jesus deixou para nós: uma vida completa e abundante. Isso é prosperidade. 

Voltando ao que falamos sobre, em seu coração e em sua mente, firmar pactos internos com Deus, preciso dizer a vocês que, na prática, isso significa tomar algumas decisões a respeito de como vemos Deus e as circunstâncias ao nosso redor, são verdades em que escolhemos acreditar e que mudam o nosso modo de pensar. 

Então, compartilho agora as quatro verdades em que decidir acreditar para superar minha crise financeira. 

  1. O mesmo Deus que me salva, me faz próspero.

Em meu período de luta, passei a ler a Bíblia com um enfoque financeiro para entender o que Deus me fala sobre prosperidade. A partir daí, pesquisei sobre Abraão, José e Moisés. Comecei então a acreditar que, como filha de Deus, a prosperidade é um direito meu assim como a salvação e a cura. 

Foi por isso que fiz um pacto interno para acreditar que Deus trouxe para todo filho que crê a prosperidade. Digo isso embasada em João 10:10. É um texto bem conhecido, mas te convido a ler novamente aquilo que Jesus nos disse:

“Eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância.”

João 10:10

Depreende-se daí que o evangelho não seria completo sem a prosperidade. E com base nessa palavra, minha mentalidade começou a mudar!

Leia Deuteronômio 28, os livros de Josué e de Isaías. Há muitos textos incríveis que mostram que Deus tem prazer na prosperidade do seu povo!

Quero deixar uma outra chave com vocês: quando temos nossa mentalidade sarada para finanças, nos tornamos aptos a alcançar muitas outras pessoas! Pense no quanto você pode contribuir com a pregação do evangelho tendo uma vida abundante! Antes de tudo, acredite que a prosperidade é para você. A miséria, a crise e a bancarrota não glorificam a Deus, mas a sua prosperidade, sim!

Antes de passar para a minha segunda decisão, vou destacar mais um ponto: em sua terceira carta, o apóstolo João nos diz desejar que a prosperidade da nossa vida externa seja como é a prosperidade da nossa alma. Ou seja, tudo começa vencendo a crise de dentro para fora! 

  1. Toda crise financeira deve ser vista como uma oportunidade de aprendizado

Aprender é um exercício de entender a teoria e colocá-la em prática, transformando-a em ferramentas para mudar sua vida. Por isso, toda crise financeira deve ser vista como um momento de formar um diagnóstico sobre as circunstâncias e entender como tudo começou.

Entenda uma coisa: se você está vivendo uma dificuldade muito grande nesse momento, pode ser que suas bases antes já não estivessem boas. Já pensou sobre isso?

Negação e desespero não ajudam a resolver nada. Mas na Bíblia, Deus sempre chamou os problemas pelo nome. Jesus sempre perguntou às pessoas exatamente o que estava faltando em suas vidas. Isso nos ensina que quando nomeamos nossas dificuldades, temos a oportunidade de fazer um diagnóstico. Isso é apenas para pessoas corajosas!

Você sempre pode aprender com a dificuldade. No contexto do coronavírus, analise bem sua situação e aproveite esse momento diferenciado em termos de socorro externo para refletir sobre o que você pode fazer para melhorar. Passado esse período de isolamento, o que você vai oferecer de inovação para os seus clientes? Qual é o valor agregado que vai ser percebido nos seus processos e nos seus produtos?

Crises são um momento para diagnóstico, para repensarmos nosso modo de agir, para aprendermos lições e para adestramos nossas mãos para o combate!

Há coisas que só aprendemos quando sentimos dor. A crise é uma escola! O aprendizado é o maior tesouro que levamos de um momento difícil, pois nos habilita a passar para a próxima fase e nos ensina novos modos de proceder. Aprender uma lição nos dá princípios para aplicarmos em novas situações de dificuldade.

Aprenda a ter humildade para assumir seus problemas e a pedir ajuda. Mostre sua boa fé é sua disposição para agir. Aprender pressupõe ter coragem de admitir seus erros. 

  1. Tudo depende dos pactos internos que fazemos. 

A crise não é quem somos, mas o momento pelo qual estamos passando. Deus não nos destinou a morar no deserto, mas na terra prometida, em que há todos os tipos de suprimentos.

Creia: no Céu já estão todas as respostas! Que tal nos agarrarmos às promessas do Senhor e avançarmos rumo ao território que já é nosso? Não dê ouvidos aos profetas do caos, que voltam os seus olhos para o tamanho dos gigantes em vez de concentrar-se na grandeza do nosso Deus. 

Volte seus olhos para o Céu e comece uma mudança hoje: a Generosidade deve ser uma cultura na sua vida, pois a generosidade atrai o favor de Deus. No início, é preciso um grande esforço para transformar sua mentalidade e seu modo de agir, mas depois este conceito fará parte da sua mentalidade!

Volte ao Salmo 18. Preste atenção: a promessa de Deus é que Ele alargará o nosso caminho. Há uma promessa para todos aqueles que são generosos. Seus caminhos deixarão de ser estreitos e você caminhará com mais tranquilidade!

Mesmo em meio à crise, não podemos deixar de ser generosos porque este é o nosso maior teste. Não segure o que você tem, porque isso é a mentalidade da pobreza, que não crê na providência de Deus.

É claro que você tem que fazer suas reservas, isso é gerir adequadamente suas finanças, mas nunca deixe de dividir o que você tem!

  1. Generosidade atrai o favor de Deus e das pessoas para a sua vida. 

Acredite no poder das sementes. Existe uma parte dos seus ganhos que você não pode consumir. Eu vivi no campo e aprendi duas lições muito preciosas: 

I. Se você consumir todas as sementes, não terá como plantar para ter uma nova colheita. 

II. As sementes nascem de acordo com suas espécies e na proporção em que são plantadas. Por isso, plante aquilo que você precisa. Se você precisa de carinho, plante carinho, se você precisa de dinheiro, plante dinheiro. Veja a parábola dos talentos em Mateus 25. 

Deixem-me esclarecer um princípio: o dízimo é uma proteção, diz que confiamos em Deus para nos suprir e para garantir nosso sustento completo. Seja em generoso em suas ofertas e espere a colheita superabundante do Senhor. 

Dê nomes às suas sementes e aprenda a dar-lhes destino. Gênesis 26 diz que Isaque estava em meio a uma grande dificuldade, mas quando consultou a Deus, recebeu como resposta que não saísse da terra que fora dada pelo Senhor, porque Ele o faria prosperar.

Isaque pôde colher cem vezes mais. E, naquela circunstância só ele pôde desfrutar da bênção extravagante do Pai e quem estava o seu redor não. Isso nos mostra que Deus pode mover a sua situação mesmo enquanto o seu contexto ainda inspirar desconfiança. Isso te é familiar? Olhe a situação pela qual estamos passando agora e creia que Deus olha para cada um de nós e age segundo o seu propósito para cada um de seus filhos. 

Concluo este segundo capítulo dizendo o seguinte: prosperidade é ter sempre, em tudo, ampla suficiência. Não é só guardar dinheiro, mas viver plenamente.

Entenda que você precisa plantar uma semente para a mudança de fase. Sementes sacrificiais trazem o socorro (lembre-se das moedas da viúva pobre), mas aprenda a plantar sementes que lhe permitirão mudar de fase e nunca mais viver as mesmas crises.

Acredite na sua liberdade financeira e entenda que as sementes que você planta frutificarão debaixo das promessas do Senhor. 

Texto transcrito e adaptado por Anna Caroline Pacheco Cintra.

Anna é membro da Comunidade das Nações desde 2017, concluiu todos os módulos da Academia das Nações em 2019, oportunidade em que firmou seu propósito de contribuir para a expansão do Reino atuando no Monte da Educação, entendendo que tem como missão aplainar os caminhos do conhecimento para que o povo de Deus seja instrumento para trazer o Céu à Terra. É professora de finanças, estudante de pedagogia e atua no mercado financeiro há mais de 10 anos.