“Reforma é quando todos 7 montes são transformados pelo poder de Deus”, diz Lance Wallnau na CG

Terceira noite da CG2021 foi marcada por uma homenagem a terra santa de Israel

A terceira noite da Conferência Global 2021 foi marcada por uma homenagem ao Estado de Israel. A abertura foi dada pela cantora Gabriela Rocha, que brilhantemente, adorou a Jesus com suas canções carregadas da presença de Deus. Em seguida, Nádia Santolli entoou o hino nacional brasileiro. O ministro da Educação Milton Ribeiro foi convidado para cantar ao lado de Ana Carvalho, o hino de Israel.

Logo após, o novo embaixador de Israel no Brasil Daniel Zonshine falou da importância do relacionamento entre as duas nações. “Sabemos que Israel não anda sozinho. Nossa nação se ergueu nos valores de liberdade e justiça. O relacionamento entre Brasil e Israel também demonstra que nossas economias se completam, em vez de competirem, fortalecendo nossos laços e benefícios para ambos”.

O bispo JB Carvalho anunciou a entrada do preletor da noite, o escritor e comunicador americano, Lance Wallnau, que iniciou sua ministração destacando que trabalhou com o ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e comentou sobre a similaridade com o presidente brasileiro. “A semelhança é óbvia. Ambos falam o que pensam. Ambos levaram Deus ao governo. (…) E eu penso que líderes como eles são um produto da oração do povo de Deus. É a sua oração que leva pessoas assim a posições de autoridade”, disse.

Batalha pela liberdade religiosa

Lance acredita que a Europa não é mais o grande continente que costumava ser. E que o povo de Deus precisa entender o que está acontecendo no mundo. “Não é só sobre eleição. É uma batalha pela liberdade religiosa. O mesmo espírito que quer controlar você é o que criou a COVID. Eu estudo o Fórum Econômico Mundial e esse é o pessoal que quer criar a Nova Ordem Mundial. Eles querem destruir o capitalismo e promover o socialismo global. Mas está acontecendo algo importante agora: corporações maiores que países estão se reunindo com governantes para impor essa Nova Ordem Mundial. Presidentes como Trump e Bolsonaro sabem o que está acontecendo. Essas pessoas queriam usar o ambientalismo, mas eles viram que o coronavírus seria melhor para os planos deles“, disse.

Segundo Lance, há dois pensamentos que os crentes devem guardar. “Qual é o pensamento de Deus para as nações? E qual é esse sistema mundial único que aparece na bíblia? Entenda isso, há algo se levantando agora que quer ser esse sistema mundial. E quando Bolsonaro ou Trump se levantam contra esse sistema, há reação. A mídia, o entretenimento, os tribunais, cercam os líderes que Deus colocou no mundo para tentar derrubá-los, mas Deus está fazendo algo para eles”, lembrou.

Lance citou Mateus 16 quando Jesus pergunta aos seus discípulos: “O que os homens dizem que eu sou? E os discípulos dizem sem jeito: Alguns dizem que o senhor é João Batista, outros que é Elias. E Jesus responde: Isso é o que eles dizem, mas quem vocês dizem que eu sou? Vejam que eles ainda não tinham recebido a mensagem de que ele era o Messias. Pedro tinha recebido essa revelação. Ele não era o mais bem preparado ali, mas foi ele quem teve a revelação. Então Jesus disse: Pedro filho de Jonas, tu és bem-aventurado, pois não foi nem a carne nem o sangue quem te revelou isso, mas meu Pai que está no céu. E naquele momento da revelação, Pedro recebeu a autoridade dos céus“, afirmou.

Sete montes de influência

Lance afirmou que pode-se ver que países que se abriram para Deus passaram por uma transformação profunda, e estão muito melhores. “São sete estruturas verticais, da economia ao governo. Essas estruturas abalam as nações. A liberdade que temos, a ideia de democracia, estão dentro disso. Nos últimos 20 anos, a educação foi estrategicamente tirada da igreja por forças seculares. E a igreja deixou isso acontecer. A mídia se tornou de esquerda e a igreja não se importou. O entretenimento foi envolvido no pecado e a igreja não fez nada. Gradualmente os estudantes saíram da educação e foram para os negócios, e as corporações se tornaram mais progressistas“, disse.

Pandemia

O comunicador lembrou que durante o início da pandemia, quando governos começaram a fechar tudo, inclusive igrejas, notou-se o quão fraca a civilização ocidental havia se tornado.”As nossas liberdades foram tiradas e o povo da igreja não pode fazer nada. Onde vocês acham que as portas do inferno estão localizadas? Onde elas ameaçam vocês? Elas só podem incomodar você se há homens influenciados pelas suas ideias (as ideias do inferno). 90% da influência vem de 10% das pessoas, que são as pessoas que estão no topo dessas estruturas“, ressaltou.

Jesus como o Senhor das nações

Lance destacou que na Bíblia, Deus falou para Abraão: você será posto por cabeça, não por cauda. “O que a igreja aprendeu? Quem vocês dizem que é Jesus? Nós pensamos que a igreja é a coisa primeira que Deus quer construir na terra. Mas eu digo a vocês: nós precisamos de uma revelação. Você acredita que Jesus é o filho de Deus? Então quem é Jesus na relação com as nações? Eu tenho medo de que haja na igreja a ideia de que Jesus veio para nos levar para o céu, e não para trazer o céu para a terra. Pouca gente vê Jesus como o Senhor das nações. A maioria crê que ele será o Senhor das nações eventualmente, mas temos que ver que ele é o Senhor das nações agora. Ele é o Senhor do Brasil agora“, disse.

Muitos cristãos pensam que Jesus é o salvador da sua alma e eventualmente ele será o Senhor das nações. Mas e se Jesus é o Senhor das nações agora? E ele já está na terra através da igreja? (…) Em Mateus 28:18 Jesus falou para os discípulos: Todo o poder foi dado a mim, no céu e na terra. (…) Não é que um dia será dado: ele já foi dado a Jesus. Toda a autoridade foi dada a Jesus, não quando Ele voltar, não quando Ele confrontar o anticristo, mas ela já foi dada a Ele. (…) O papel da igreja é pegar tudo isso e ensinar o caminho do Senhor. O que estou dizendo é que temos mais autoridade do que pensamos que temos“, disse.

Nação modelo para o mundo

Lance disse que acabou de escrever um livro no qual identifica os sinais de que sua nação, os Estados Unidos, foi ungida por Deus. “Deus vai pegar alguma nação para servir como modelo para mostrar sua vontade para o mundo. Por que não o Brasil? Por que o Brasil não pode se erguer e liderar a América do Sul? Nós nos EUA viremos e ajudaremos o Brasil enquanto as coisas estiverem caóticas por lá. Jesus diz que quando retornar, Ele ajuntará as nações para separá-las em dois grupos: as ovelhas e os bodes. E o que separa uma nação-ovelha de uma nação-bode é como essa nação trata o povo de Cristo“, destacou.

“Haverá nações que serão nações-ovelhas, que terão líderes como Ciro. Líderes que não dobrarão os joelhos para o que é errado. E você vê agora o Brasil se tornando uma nação-ovelha. Precisamos de uma igreja que levante crentes para tomar todas essas áreas. Tem mais marxistas ensinando nas universidades do que em qualquer outro lugar. No meu país, esse é o maior problema, porque estão sendo formados militantes, e não acadêmicos. (…) Você será uma força indo para a academia. Você será uma força indo para o judiciário. Você será uma força indo para a economia. Porque Deus vai te dar autoridade sobre essas portas”, declarou.

No encerramento, Lance Wallnau disse que reforma é quando todos esses montes são transformados pelo poder de Deus. “Os líderes do mundo não podem lutar as lutas da igreja. Você viu agora pouco seu presidente dizer que foi um chamado que o chamou. Cada um de vocês têm um chamado muito maior do que vocês pensam. Brasil será uma nação-ovelha. Eu peço que o Senhor ponha sua marca em cada um aqui. A marca dos reformadores, para transformar alguma área para que Jesus se torne manifesto. Amém”, finalizou.

O cantor e compositor Paul Wilbur encerrou a terceira noite da Conferência Global 2021 – Millennium A era do Reino, com suas composições autorais que marcaram uma geração.

por Tiago da Silva, Henrique Guilherme e Vanessa Ribeiro