“É preciso sair da inércia e obedecer o chamado de Deus”, lembra Deive Leonardo no Profetizando 22

"Quem nunca se atreve a sair do barco, não terá histórias extraordinárias para contar"


O quinto dia do Profetizando 22 foi iniciado com uma oração e palavra profética liberada por Afonso Marcos. O louvor foi comandado pela pastora Karen Braz e banda.

Luis Felipe/CN

Inspirada em Jeremias 29:11, “Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais“, pastor Elisio trouxe uma palavra para ativar a coragem no coração dos presentes no CN Hípica Hall. “A coragem deve nos dominar, pois temos um Deus que cumpre as suas promessas. Sê forte e corajoso porque Deus está entrando em seus projetos, está entrando em sua família, em cada área da sua vida“, disse.

Luis Felipe/CN

Em seguida, o pastor Pedro Leite, anunciou o convidado especial da noite, Deive Leonardo.

Luis Felipe/CN

Deive começou sua ministração destacando o tema do evento deste ano, profetizando que, “2022 será melhor de tudo o que vivemos”. “Não importam as circunstâncias. Quando Jesus ingressa na história, todas as coisas são transformadas. Jesus disse que não nos deixaria órfãos, Ele deixou o seu Espírito para nos acompanhar e nos guiar“, lembrou.

Logo em seguida, Jesus insistiu com os discípulos para que entrassem no barco e fossem adiante dele para o outro lado, enquanto ele despedia a multidão. (Mateus 14:22)

O preletor afirmou que a forma de Deus nos conduzir é muito suave. “Normalmente, Ele aguarda nossas convicções se firmaram, nossas decisões serem tomadas. Ele diz: eis que estou à porta e bato, se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei. Deus espera uma atitude nossa. No entanto, vemos no texto que Jesus não pediu para que os discípulos entrassem no barco. Determinada versão fala que Ele ordenou (mandamento). Outra diz que Ele insistiu. Isso significa que Jesus estava sendo resistido. Houve uma determinação expressa, pela falta da espontaneidade em obedecer. Nesta jornada, Jesus não entrou no barco“, disse.


Se Jesus apresentar uma direção, não hesite, pois, mais adiante, você irá entender (Vivemos em uma geração que padece por não seguir a direção de Deus). Nós conhecemos a história. Os discípulos enfrentariam uma grande tempestade. Na verdade, Jesus os colocou em uma situação muito difícil, assim como, por vezes, Deus nos coloca em situações difíceis, com a finalidade de nos aperfeiçoar e provar o que há dentro de nós“, ressaltou.

Deive Leonardo contou que, recentemente, colocou os seus dois filhos sentados à mesa, com um prato de doces e uma câmera escondida e disse: “não toque nesses doces, até papai e mamãe voltarem. Em seguida, nos ausentamos. Tínhamos a finalidade de testar a fidelidade da obediência deles, sem a nossa presença. Deus também faz assim conosco“, pontuou.

Veja o contexto dos discípulos. Eles tinham acabado de presenciar o milagre da multiplicação de pães e peixes. Estavam conseguindo caminhar, mas com o apoio de Jesus. Com sua presença, os milagres estavam ocorrendo. Agora, seria a vez de provar a fé e a fidelidade na sua ausência. Então, os discípulos entraram naquele barco e, quando estavam distantes da terra, uma forte tempestade começou a assolar o lugar. Imagine os trovões, relâmpagos, forte tempestade, tudo isso amedrontando os discípulos. Existem batalhas que acontecem fora de nós e outras que ocorrem dentro de nós. Naquela situação de caos, Jesus vem andando por cima das águas. Jesus é suficiente, Ele não precisa de, absolutamente, nenhum suporte para operar milagres. Todos os discípulos estavam inseridos no mesmo contexto, dentro do barco, no meio da tempestade. Quando há muito barulho à nossa volta, quando vivenciamos situações de turbulência, podemos ficar atordoados, envoltos no estresse daquele momento, sem conseguir enxergar ou ouvir Jesus, por conta das muitas vozes gritando ao mesmo tempo: a voz do medo, da incredulidade e da dúvida“, disse.

Deive esclareceu que é exatamente nestas situações que é preciso perceber a Sua presença de Deus, nestes momentos é necessário entregar a primazia da consciência da Sua presença. “Todavia, tenha algo em mente: mesmo quando não conseguimos enxergá-lo, mesmo que não reconheçamos a sua voz, Jesus sabe, exatamente, onde estamos. A grande questão é: o que nós podemos fazer para reconhecer Jesus em meio às turbulências?“, questionou.

Luis Felipe/CN

Jesus não foi reconhecido

Quando somos dominados pela tempestade, perdemos a visão do horizonte. Mas, Pedro desconfia que o dito “fantasma”, era Jesus e, assim, resolve fazer prova: se és tu, manda-me ir ter contigo na água. Pedro fez prova de Jesus. Ele se lançou com propósito e foi o único que saiu do barco. Só anda sobre as águas, só caminha por cima do problema quem discerne a voz de Jesus e faz prova dela. Pedro ultrapassa as barreiras do natural e experimenta o sobrenatural. Precisamos acreditar na voz de Jesus, ainda que não faça tanto sentido naquele momento. Naturalmente, em meio à tempestade, é melhor permanecer aguardando uma melhora de tempo dentro do barco, pois não faz sentido sair dali. No entanto, se Jesus chamar para sair do barco, não faz sentido permanecer“, destacou.

Antes de encerrar, Deive Leonardo afirmou que é preciso sair da inércia e obedecer o chamado de Deus. “Quem nunca se atreve a sair do barco, não terá histórias extraordinárias para contar. Saia do barco e viva o seu chamado. Olhe para a história. Pedro ouviu, fez prova de Deus, saindo do barco no meio da tempestade, experimentou o milagre, mas acabou perdendo o foco. Por um momento, remova o olhar da tempestade para perceber a voz de Jesus. Há um lindo céu nos aguardando, após essas nuvens pretas. Mude a sua perspectiva, por meio da busca em oração“, finalizou.

por Vanessa Ribeiro
edição Tiago da Silva

Confira o vídeo da noite no nosso canal no Youtube: