Demolindo fortalezas

"Proteja seus pensamentos, crie sinapses. A gratidão quebra o fluxo de frequências ruins. Mude sua frequência, mude de ano!", diz JB Carvalho

Luis Felipe/CN

Porventura a minha palavra não é como o fogo, diz o Senhor, e como um martelo que esmiúça a pedra?
(Jeremias 23:29)

Porque, andando na carne, não militamos segundo a carne.
Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas;
Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo;
(2 Coríntios 10:3-5)

Ao analisarmos esses dois textos em conjunto, verificamos que a construção de ideias e pensamentos, formam um conjunto de valores que moldam o comportamento humano. Esse conjunto axiológico é introjetado pela cultura de determinada localidade que, por sua vez, é influenciado pelas forças espirituais daquele território. Acaba por transmitir, ainda que sob a forma de linguagem subliminar, uma perspectiva de análise da vida e juízos de valor, acerca de tudo. Portanto, a cultura está intrinsicamente vinculada à espiritualidade.

Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência; (Efésios 2:2)

Veja que o texto nomina essa autoridade espiritual das trevas como “príncipe da potestade do ar”. Esse nome faz referência ao âmbito da sua atuação – a atmosfera.

Fazes a teus anjos ventos e a teus ministros, labaredas de fogo. (Salmo 104:4)

Neste versículo, verificamos a atuação dos anjos. Existe uma esfera, onde anjos e demônios se movimentam, como em um universo paralelo. Neste lugar, trava-se uma batalha por poder e influência à mente humana. O reino espiritual das trevas se movimenta com o objetivo de erguer fortalezas mentais, construída por ideias altamente destrutivas. São verdadeiros castelos.

Se no mundo terreno, o estabelecimento de um estado se dá pela conquista de terras, a submissão de um povo a um regime, a concordância com determinada forma de atuação do governo, as batalhas do mundo espiritual são travadas pela conquista dos pensamentos da mente humana, pela aderência de um conjunto de crenças, onde o homem deposita a sua fé. Logo, ideias inseridas, são espaços conquistados e o governo se dá desta forma.

O jogo e a disputa por poder e influência que vemos no mundo político, educacional, informativo e artístico, também ocorre no mundo espiritual. Existe uma batalha travada para conquistar a nossa atenção, propondo ideias, a fim de sermos controlados por elas. Cada pessoa que ocupa um lugar de influência no mundo, está sendo influenciado por um conjunto de valores do reino que representa.

O diabo quer morar em nosso sistema de crenças e se infiltrou em algumas mentes, com esse propósito. São pessoas que permitiram a instalação do engano.

Zeitgeist” é um termo alemão que define o espírito que atua em uma época. É o espírito do tempo, manifesto em um conjunto de ideias, expresso na cultura do período. O “Zeitgeist” da pós modernidade, advindo da França em 1979, trouxe um desencanto com o futuro. É o movimento da filosofia definido como Pós-estruturalismo de Jacques Derrida, Gilles Deleuze e Michel Foucault. A contra cultura criou esse ambiente, para desconstruir a civilização.

A palavra é: sistema. trata-se de uma mentalidade rígida, sem elasticidade, incapaz de dobrar-se a argumentos, ainda que convincentes. Um orgulho estático e irracional.

Somos seres criados com a capacidade de desenvolvimento. Nosso raciocínio pode ser renovado e expandido. Portanto, devemos ser sensíveis para ouvir e capazes de alterar opiniões. Podemos fazer a nossa própria cirurgia mental.

Alguém afirma: não se mistura política com religião. Na verdade, elas estão intrinsicamente misturadas. As ideias inseridas na construção das políticas públicas, na construção normativa e na construção das sentenças proferidas pelos tribunais, possuem raízes de crenças religiosas. São “influencers” altamente influenciados por uma religião. Está claramente expresso no nazismo e no positivismo, dentre outros movimentos. Trata-se de uma expansão de territórios mentais, com a introdução de pensamentos que contrariam a verdade de Deus.

O diabo não conseguiu exterminar os cristãos de fora para dentro, tirando suas vidas, então, ele quer destruí-los de dentro para fora, com a inserção de ideias autodestrutivas.

O diabo não conseguiu matar os homens por completo, pela prática do genocídio, então, ele quer destruí-los de dentro para fora, com a inserção de uma bomba em suas mentes, chamada “identidade de gênero”. Assim, introduz um ponto de interrogação na “masculinidade”: Foi assim que Deus criou? Homem e Mulher?

… levamos cativo todo pensamento, para torná-lo obediente a Cristo. (2 Coríntios 10:4,5)

Coloque a mão sobre a sua cabeça e diga: Eu levo cativo todos os meus pensamentos à obediência de Cristo.

Veja:

Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. (2 Coríntios 4:4)

A palavra “cegou”, no original, se refere a uma névoa mental, que impede o raciocínio. São fortalezas que criam barreiras pela adoção de mentiras, como verdades absolutas, a fim de esvair a força, a prosperidade, a grandeza, enfim, tudo o que Deus projetou.

Então, o espírito de miséria olha para a prosperidade e se escandaliza. Enxerga uma entrega extravagante e diz: poderia ter dado aos pobres. Esses ataques, são recorrentes nos nossos pontos fortes.

Jesus alerta: mude de ideia, pois o reino de Deus está próximo. Arrependimento é uma “metanoia”, uma transformação, o trabalho de exercitar os músculos mentais para ir além e transcender. Perceba o mundo sob a perspectiva do Reino de Deus e não sob a perspectiva do reino da terra.
Esta guerra existe e possui o intuito de captar a sua atenção para o alcance de um objetivo claro.

Os reis da terra se levantam, e os príncipes conspiram contra o SENHOR e contra o seu Ungido. Salmo 2:2

A frequência da mídia é intencional. O conteúdo pedagógico é intencional. Os projetos de lei são intencionais. As tentativas de acordos internacionais são intencionais. A jurisprudência é intencional. Os programas de entretenimento, jogos, artes, filmes, desenhos, séries, músicas carregam ovos de serpentes, para a conquista de um território mental, a construção de uma fortaleza onde a mentira, o engano possa se instalar e controlar sua vida

JB Carvalho

Nós podemos ser transformados pela renovação da mente

…não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que proveis qual é a boa, agradável e perfeita vontade de Deus
. (Romanos 12:2)

Assim como a passividade na exposição de conceitos transmitidos pelos meios a que nos referimos, moldam a forma de pensar e exercem influência sobre os nossos comportamentos, a assimilação das verdades contidas na Palavra de Deus, altera as nossas atitudes mentais, concedendo novas perspectivas, fazendo-nos enxergar novas realidades e alterando o nosso destino.

A celeridade dessa transformação se dá pelo foco. O que deixamos crescer diante dos nossos olhos, torna-se a nossa realidade.

Davi age desta forma. Ele não foca na grandeza do inimigo, mas grandeza do Deus com quem tinha uma aliança. Ele entendeu que não precisava temer. Com a mesma frequência, Davi forma matadores de gigantes, homens que valiam por mil.

Vejamos a batalha travada no campo da mente de Pedro:

E, chegando Jesus às partes de Cesaréia de Filipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do homem?
E eles disseram: Uns, João o Batista; outros, Elias; e outros, Jeremias, ou um dos profetas.
Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou?
E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.
E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus.

Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela;
E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.
Então mandou aos seus discípulos que a ninguém dissessem que ele era Jesus o Cristo.
Desde então começou Jesus a mostrar aos seus discípulos que convinha ir a Jerusalém, e padecer muitas coisas dos anciãos, e dos principais dos sacerdotes, e dos escribas, e ser morto, e ressuscitar ao terceiro dia.
E Pedro, tomando-o de parte, começou a repreendê-lo, dizendo: Senhor, tem compaixão de ti; de modo nenhum te acontecerá isso.

Ele, porém, voltando-se, disse a Pedro: Para trás de mim, Satanás, que me serves de escândalo; porque não compreendes as coisas que são de Deus, mas só as que são dos homens.
Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me;
Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á.
(Mateus 16:13-25)

Vemos que Pedro recebeu uma revelação estrondosa, acerca da identidade de Jesus. Mesmo com a construção mental de que o enviado de Deus deveria libertar Israel do domínio Romano e ser, visivelmente, poderoso, sua mente concedeu espaço para uma revelação espiritual.

Jesus não veio à terra como um guerreiro, para libertar os judeus do Império opressor, como líder de uma guerra física, porque a maior libertação ocorre pela desconstrução dos modelos mentais rígidos da religiosidade. Essa revolução ocorreu a partir dos seus ensinamentos transmitidos aos apóstolos, fazendo o Império Romano derreter.
No entanto, a bíblia mostra que logo em seguida, na continuidade da conversa, Pedro havia reservado um espaço em sua mente, para a autopreservação. Essa parte dos seus pensamentos estavam alinhados com o medo.
Quais tem sido seus pensamentos? Se você se alinhou com o medo, você se alinhou com o diabo.

Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo (Salmos 23:4)

Ainda, sem desistir de lutar com armas carnais, Pedro cortou a orelha de Malco:

Simão Pedro, que trazia uma espada, tirou-a e feriu o servo do sumo sacerdote, decepando-lhe a orelha direita. ( O nome daquele servo era Malco. Jesus, porém, ordenou a Pedro: “Guarde a espada.. (João 18:10,11)

Nossas armas carnais não servem para embates espirituais.
Todavia, apesar de descritas as falhas, ele é enfatizado pelos pontos mais elevados da sua história. Vemos sua atuação no livro de Atos dos Apóstolos e como tudo terminou. Não, ainda não terminou! O Apóstolo Pedro está nos ministrando, neste momento. Sua vida ecoa na eternidade!

Mas, vamos entender o que aconteceu:

Mas Jesus, voltando-se, disse a Pedro: Arreda, Satanás! Tu és para mim pedra de tropeço, porque não cogitas das coisas de Deus, e sim das dos homens. (Mateus 16:23)

Cogitar é meditar, refletir, ruminar ideias. Jesus está questionando o motivo de Pedro ter se detido em uma reflexão carnal, em uma sugestão maligna, em uma ideia introduzida pelo inimigo.

A renovação dos pensamentos se dá pela meditação na Palavra de Deus, caso contrário, não poderemos experimentar sua boa, agradável, e perfeita vontade.
Quais têm sido suas conversas internas? O que você tem dito para si? Olhe para os salmos e veja como os salmistas conversam, meditam, dão ordens às suas almas.
Deus disse a Josué:

Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido. (Josué 1:8)

Isso significa: Fale a palavra para você, repita a promessa, introjete ideias divinas e rumine.

Para as enfermidades, diga:

Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.
Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.
(Isaías 53:4,5)

Para a acusação, diga:

Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica.
Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós
. (Romanos 8:33,34)

Para a inquietação e o medo, diga:

Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou. Não a dou como o mundo a dá. Não se perturbem os seus corações, nem tenham medo. (João 14:27)

Bloqueie o assédio, bloqueie a tentação.

Se você imagina um futuro desastroso, você está imaginando um futuro sem Deus e esse futuro não existe. Ele disse: nunca te deixarei, nem jamais de abandonarei. Sua prosperidade será concomitante à riqueza interior.

Porque, como imagina em sua alma, assim ele é; (Provérbios 23:7)

Deus não te deixará. Ele diz: Eu te esforço, te ajudo e te sustento com minha destra fiel.
Dentro das pessoas existem quartos escuros, fortalezas ocultas. Churk Pierce define fortaleza:

Processo de pensamento impregnado por uma força espiritual, que mantém a pessoa com ataduras. Uma fortaleza é um castelo ou qualquer outra coisa que nos socorra, como proteção. (…) O fundamento de uma fortaleza é um sistema de crenças, que forma a mentalidade de se opor à verdade de Deus. Muitas vezes, uma fortaleza se forma em um período de angústia, trauma ou necessidade. O diabo vem a nós, para acusar Deus. Em seguida, oferece uma solução, como via de escape, que deixa Deus fora do processo. Isso, finalmente, fornece uma atadura maior.

Esse foi a tentativa, para amarrar Jesus:

Novamente o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles. E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. (Mateus 4:8,9)

Ele propôs a conquista dos reinos, sem a cruz. Sugeriu um caminho mais fácil para alcançar o propósito, uma solução, uma via de escape. São ideias que surgem em momento de sofrimento que, se cogitadas, meditadas, refletidas e aderidas, tornam-se fortalezas que aprisionam a mente e a alma. Então, surgem propostas de “alívio” em ambientes promíscuos, virtuais e físicos; propostas de “alívio” com bebidas e drogas. A proposta de uma popularidade imediata, que entra no teatro dos cenários mentais, como solução rápida para cessar o sofrimento, removendo Deus do protagonismo. Lincoln expressa sua decisão: Sem Deus, eu prefiro fracassar.

Você pode dizer isso?
A bíblia é enfática:

Não deis lugar ao diabo. (Efésios 4:27)

Não dê espaço ao diabo, no território da sua mente. Não forneça sua geografia interna. Não permita o estabelecimento de uma base inimiga, em sua extensão mental. Não permita que ele se sinta confortável, para te pisotear, criando ataduras, amarras e prisões. Cada pecado é uma entrega de ponto, para apoio maligno. Questões não resolvidas, alimentam o inimigo dentro de você.

Desfaça os altares de injustiça

Assim diz o Senhor: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem se glorie o forte na sua força; não se glorie o rico nas suas riquezas, Mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me entender e me conhecer, que eu sou o Senhor, que faço beneficência, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o Senhor. (Jeremias 9:23,24)

As injustiças são altares levantados, que atraem o julgamento. Só existe uma forma de interromper o processo: por meio da chave do arrependimento. Por isso, é muito importante lidar com as ofensas.

Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão, e depois vem, e apresenta a tua oferta. (Mateus 5:23-24)

Nossa postura, como alvos da injustiça, deve ser de perdão, pois a vingança a Deus pertence. Ele retribuirá a cada um, segundo as suas obras.

O julgamento de Deus sobre nós, é um ato de misericórdia, para não sermos condenados com o mundo.

No entanto, quando somos julgados pelo Senhor, estamos sendo corrigidos a fim de que não sejamos condenados juntamente com o mundo. (1 Coríntios 11:32)

As armas do diabo são: acusação e decepção. A amargura, o ódio, o rancor criam feridas, onde os demônios se alojam. Pessoas assim, por onde passam, sangram. Cesse hoje a reclamação e a maledicência. Leve suas faturas à cruz, pois acusar não é sua função.

Se for possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens. (Romanos 12:18)

Dê primazia à voz correta

Pela manhã, antes de ouvir qualquer voz, ouça a sua voz em oração. Antes das pessoas terem a oportunidade de te influenciarem, ouça a si mesmo e ouça a Deus. Antes de responder as demandas das pessoas, responda as ordens de Deus.

De manhã, SENHOR, ouves a minha voz; de manhã te apresento a minha oração e fico esperando. (Salmo 5:3)

Desfaça qualquer forma de idolatria

Rompa com a idolatria, pois sua consequência é cegueira espiritual. Quebre o encanto da paixão, porque pessoas apaixonadas são idólatras.

Os ídolos deles são prata e ouro, obra das mãos dos homens. Têm boca, mas não falam; olhos têm, mas não vêem.
Têm ouvidos, mas não ouvem; narizes têm, mas não cheiram. Têm mãos, mas não apalpam; pés têm, mas não andam; nem som algum sai da sua garganta. A eles se tornem semelhantes os que os fazem, assim como todos os que neles confiam.
(Salmos 115:4-8)

Deus é suficiente para suprir qualquer vazio de afeto.

Quebre o altar da imoralidade sexual

Em Levíticos 18 temos uma lista de formas sexo proibido. A civilização ocidental foi criada a partir dos princípios bíblicos. Hoje, querem retomar a pansexualidade. A idolatria, que é a prostituição espiritual, leva à imoralidade sexual, uma depravação moral institucionalizada como cultura. A imoralidade desoriginaliza a identidade, levando as pessoas a crises autodestrutivas. A pornografia é gratuita, porque ela mata. Promove casos irreais, provocando reações corporais, que lesionam parte do cérebro.

Encontramos um importante vínculo negativo entre o ato de ver pornografia durante várias horas por semana e o volume de matéria cinzenta no lóbulo direito do cérebro“, assim como a atividade do córtex pré-frontal, escrevem os cientistas do Instituto Max Planck para o Desenvolvimento Humano em Berlim.

“Estes efeitos poderiam incluir mudanças na plasticidade neuronal resultante de intensa estimulação no centro do prazer”, acrescentou o estudo, publicado na edição online da revista “Psychiatry”, da Associação Médica Americana.

Um homem viciado em sexo virtual, perde a alegria no sexo natural. O custo da revolução sexual é a destruição da família. Se não desejamos ver a base da sociedade ruída, não devemos querer a imoralidade. Homens que dispersam a sua energia, ficam sem foco. Ei, seu sêmen é sagrado. Não descarte suas riquezas em qualquer lugar. O pecado é um buraco negro, sem fim. Conhecemos um homem pelo estado das mulheres que passam por sua vida.
Moça, case-se com um homem que se ame, porque, se ele se amar, ele te amará e protegerá a sua família.

Quebre altares geracionais

É preciso quebrar os altares das injustiças. Elas ultrapassam gerações. Quais contas estamos pagando? Dos nossos pais, avós, políticos, educadores? Por juramento, os príncipes de Israel fizeram uma aliança com os Gibeonitas, mas a aliança foi quebrada e a conta chegou. O pecado de uma geração estava sendo cobrado da geração seguinte, como podemos verificar no livro de 2 Samuel, capítulo 21.

Abraham Lincoln atribuía a Guerra da Secessão às transgressões das gerações passadas, dizendo: A justiça está sendo cobrada.

Em Deuteronômio 28, verificamos a descrição da maldição decorrente da desobediência, ultrapassando gerações.

Profético

Que a clareza chegue, para que vejamos o que está acontecendo de forma espúria. Haja publicação das conversas dos eirados. Para libertar os outros, precisamos nos libertar, expulsando o diabo do nosso sistema de crenças. Quais são os quartos escuros, que precisam de iluminação? Teste seus pensamentos. Enfrente as ideias insistentes. Escreva, auto ministre-se. Seja seu profeta. Alinhe-se a uma decisão de qualidade, porque o ano novo é você. Decida hoje que não vai ser mais escravo dos pensamentos baixos, da pornografia. Busque ajuda, caso contrário, o diabo minará a sua força interior. Gaste a sua energia com objetivo. Muitas batalhas estão relacionadas ao seu perímetro de guerra.

A frequência espiritual da sua atuação, é como uma sintonia de rádio. Precisamos sintonizar a frequência certa, saindo da zona do medo. Você está remoendo guerras que já foram vencidas? Às vezes, mesmo depois de subir a frequência e mudar a estação, os inimigos da estação passada insistem em atormentar. Neste caso, é preciso fazer novos ajustes, para que a voz de Deus seja nítida, sem chiados. Tome a decisão de sair desse namoro abusivo, de um relacionamento com um homem não lhe entrega o seu nome. Ele não a merece. Entre nas guerras de Deus e não nas guerras que o inimigo quer te colocar. Ignore as notificações do inimigo. Todas as vezes que ele vier, aperte em ignorar. Ignore a ofensa, ignore o medo. Ative as notificações de Jesus, leve cativo seus pensamentos.

A palavra de Deus é o martelo. Você está sendo liberto de intoxicações mentais. Mude seu olhar, altere suas perspectivas. Transforme-se. Tenha coragem. Seja ousado porque o destino irá te favorecer.
O Senhor diz: Eu te esforço, te ajudo e te sustento com minha destra. Tem bom ânimo. Esforça-te.
Proteja seus pensamentos, crie sinapses.
A gratidão quebra o fluxo de frequências ruins.
Mude sua frequência, mude de ano!

por Vanessa Ribeiro

Adquira o novo livro do bispo JB Carvalho, “O Ano Novo Sou Eu”, pela Editora Chara, clicando aqui.