“Alegria do cristão não é uma opção, mas um mandamento”, diz Hernandes Dias Lopes no Profetizando 22

Hernandes enumerou quatros ladrões que podem roubar a alegria do cristão. "O reino de Deus, que está dentro de você, é alegria. Portanto, alegre-se sempre"

Luis Felipe/CN

O sétimo dia do Profetizando 22, no CN Hípica Hall, começou com uma oração fervorosa do pastor Bruno Martins. “A palavra para essa noite é se entregue mais. Faça mais porque a grandeza de Deus é revelada aos filhos de Deus”, disse. A adoração foi comandada por Gabriela Loures e sua banda, direto da CN Recanto das Emas, entoaram canções antigas que fizeram os presentes se emocionarem bastante.

Luis Felipe/CN

O pastor Thiago Carneiro fez o momento profético e disse que Jesus está entrando em batalhas e interferindo em guerras sistêmicas. “Existe uma palavra do céu chegando, uma luz que brilha. Ele é a estrela da manhã e onde a luz chega, as trevas não podem prevalecer. Por onde você passa, há um rastro de luz, por causa do comissionamento da sua missão. Portanto, cresça e ilumine, a partir dos lugares altos”, profetizou.

Luis Felipe/CN

A palavra de oferta foi liberada pelo pastor Carlos Damasceno de Belo Horizonte. Ele enfatizou que sentia um cheiro de ineditismo. “Há algo inédito sendo liberado. Deus quer te surpreender.

E Jesus, ouvindo isto, retirou-se dali num barco, para um lugar deserto, apartado; e, sabendo-o o povo, seguiu-o a pé desde as cidades. E, Jesus, saindo, viu uma grande multidão, e possuído de íntima compaixão para com ela, curou os seus enfermos. E, sendo chegada a tarde, os seus discípulos aproximaram-se dele, dizendo: O lugar é deserto, e a hora é já avançada; despede a multidão, para que vão pelas aldeias, e comprem comida para si. Jesus, porém, lhes disse: Não é mister que vão; dai-lhes vós de comer. Então eles lhe disseram: Não temos aqui senão cinco pães e dois peixes. E ele disse: Trazei-mos aqui. E, tendo mandado que a multidão se assentasse sobre a erva, tomou os cinco pães e os dois peixes, e, erguendo os olhos ao céu, os abençoou, e, partindo os pães, deu-os aos discípulos, e os discípulos à multidão. (Mateus 14:13-19)

Segundo Carlos, tanto os discípulos, como Jesus, tinham uma forma para solucionar o problema da falta de alimento. “Naturalmente, os discípulos, imediatamente, pensaram em sair para comprar pão, mas, eles mesmos chegaram à conclusão de que essa não seria uma solução viável. Jesus, porém, tinha a intenção de suprir em doação, por meio de um milagre. Essa sim, era uma solução viável. Apesar dos discípulos estarem tão alienados da solução espiritual que deveria haver para aquele problema físico, Jesus não os excluiu, ao contrário, os fez participantes da manifestação do seu poder. Através da pequena oferta colocada no altar – cinco pães e dois peixinhos – e por meio do serviço dos discípulos, na distribuição de alimentos, toda a multidão é suprida. Jesus carregava um ambiente profético, para alterar atmosferas e fazer reverberar em abundância pequenas entregas“, disse.

Damasceno declarou que Deus sempre faz transbordar a sua graça, para que se possa ter sempre, em tudo, toda a suficiência. Para ele, a vergonha da impotência espiritual dos discípulos foi superada pela graça e compaixão de Jesus.
Deus poderia fazer tudo sozinho, mas, criou um meio de nos tornar participantes da sua natureza divina. Essa é a graça! Não importa o quanto você tem em mãos! Essa pequena oferta redundará na participação do milagre, que Deus deseja manifestar. O inédito inicia-se através de pequenos atos de obediência. Seja agente participante de uma grande provisão. Entregue aquilo que tem o cheiro de inédito, para ver o extraordinário. Inicie o fluxo do suprimento e instaure o marco inicial dos milagres“, enfatizou.

Luis Felipe/CN

O preletor da noite, o pastor Hernandes Dias Lopes começou sua ministração lendo Filipenses 4:4: “Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos“.

Quero começar com uma pergunta pessoal. Normalmente, não gostamos de perguntas pessoais porque elas acabam invadindo a nossa privacidade, nos coloca contra a parede e não queremos que ninguém invada a nossa vida, sem pedir licença. Mas, gostaria que você imaginasse estar sendo indagado, como se estivéssemos juntos, sentados frente a frente: Pergunto: você é uma pessoa feliz? Não tenha pressa para responder porque essa resposta não é tão simples, quanto parece“, disse.

Segundo Hernandes, em 1991 quando visitou à África do Sul, em um momento de grande avivamento, certa pessoa, perguntou à esposa de um missionário na missão: “Você é submissa ao seu marido? Ela respondeu: Eu posso lhe garantir que meu marido me ama, mas, se sou submissa ou não, essa pergunta não tem que ser feita a mim, mas a ele.
Essa resposta foi muito inteligente, mas, eu quero mudar a pergunta e colocá-la para o homem: Sua mulher pode lhe garantir que você é um homem feliz?
“, questionou.

Seus filhos se levantam e a elogiam; seu marido também a elogia, dizendo: “Muitas mulheres são exemplares, mas você a todas supera. (Provérbios 31:28,29)

As pessoas que estão ao redor da mulher virtuosa, reconhecem que ela é uma pessoa feliz. As pessoas ao seu redor, podem dizer isso a seu respeito? Talvez sua resposta seja negativa. Mas, qual era o contexto de Paulo, quando escreveu – Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos. – ? Paulo escreveu esse texto de uma prisão, algemado e acusado pelos seus irmãos judeus“, disse.

O pastor ressaltou que Paulo ensina três verdades:

A alegria é: Mandamento – Alegria do cristão não é uma opção, mas um mandamento. Não é uma alternativa. Você, como cristão, não tem o direito de ser uma pessoa triste. É um pecado contra a ordem de Deus. O reino de Deus, que está dentro de você, é alegria. Portanto, alegre-se sempre“, enfatizou.

Ultra circunstancial – Paulo estava passando por problemas, assim como nós. Mas, este mandamento independe das circunstâncias“.

Cristocêntrica – o motivo da alegria do cristão é Jesus. Nosso prazer está em obedecê-lo e servi-lo. Se nem todos os cristãos desfrutam dessa alegria, quem é que a está roubando ? Quem está nos esfoliando desse bem? Quem são esses ladrões?“, questionou.

Luis Felipe/CN

Lopes ainda enumerou quatros ladrões que podem roubar a alegria:

1) Circunstâncias ruins

E quero, irmãos, que saibais que as coisas que me aconteceram contribuíram para maior proveito do evangelho; Filipenses 1:12

As circunstâncias são o primeiro ladrão, pois elas chegam subitamente, sem aviso prévio e reviram nossas vidas. Pode ser um divórcio, um luto. São interferências imprevistas. Quais as circunstâncias de Paulo? perseguido, rejeitado, apedrejado, esmurraçado, açoitado, difamado, em enfrentamentos de feras, de tempestades e prisões, mas, o que ele diz?“, perguntou.

Desejo, portanto, irmãos, que saibais que tudo o que me aconteceu tem, ao contrário, servido para o progresso do Evangelho, de tal maneira a ficar evidente para toda a guarda do palácio e para todos os demais que é por causa de Cristo que estou na prisão. (Filipenses 1:12, 13)

Segundo Hernandes, Paulo tinha plena convicção de que a mão de Deus conduzia o seu destino. “A prisão de Paulo encorajou a igreja na pregação. Toda a guarda pretoriana, a classe mais alta de Roma, muitas pessoas de exerciam influência, receberam o evangelho. Nero não sabia que estava prendendo o maior evangelista da igreja. Porque Paulo estava preso, as cartas foram escritas. Talvez, se estivesse solto, não as teríamos. Deus nunca perde o controle de nada“, lembrou.

2) Pessoas

Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros. (Filipenses 2:3,4)

O pastou ainda pontuou que, atitudes com potencial de ferir, é o que mais machuca a alma de um ser humano. “Não nos importamos tanto com as coisas, como nos importamos com as pessoas. Todos nós somos imperfeitos e todos nós, um dia, fomos e seremos agentes ou sujeitos de uma ferida. Se há algo capaz de atormentar a vida de alguém é a falta de perdão. É impossível ter vida saudável sem perdão, pois, quem não perdoa não tem paz, não pode orar, não pode adorar, não pode ofertar e nem ser perdoado. Quem não perdoa é entregue aos flageladores da alma, aos carrascos da consciência. Perdoar é uma questão de sobrevivência“, disse.

Hernandes relembrou a dor mais aguda que sentiu na vida foi em 02.08.1982 quando seu irmão foi morto, esfaqueado pelo primo primeiro de sua mãe. “Eu tive que perdoar, caso contrário, minha vida seria um inferno, colheria as consequências dessa escolha como, por exemplo, ter que abandonar o ministério“, disse.

O pastor ressaltou que na parábola do credor incompassivo (Mateus 18), aquele que devia 10 mil talentos não foi capaz de conceder a mesma misericórdia da qual foi alvo. Por este motivo, o seu senhor lhe disse: Servo malvado, perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste. Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti? E, indignado, o seu senhor o entregou aos atormentadores, até que pagasse tudo o que lhe devia. Assim vos fará, também, meu Pai celestial, se do coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas. (Mateus 18:32-35)

Nenhum judeu poderia dever 10 mil talentos. Jesus usou uma cifra muito alta, impagável. Se alguém trabalhasse a vida inteira para juntar esse valor, não conseguiria. Da mesma forma, a nossa dívida para com Deus era impagável. Nós nunca teríamos condições de quitá-la e, mesmo assim, Deus nos perdoou completamente. Apesar de haver dívidas impagáveis, para o perdão, não há limites. Não há nada que não possamos perdoar“, afirmou.

Sou Eu, Eu mesmo, aquele que apaga tuas transgressões, por amor de mim, e que não se lembra mais de teus erros e pecados. (Isaías 43:25)

Esquecer a ofensa significa liberar, conceder termo de quitação. Nunca mais aquela dívida poderá ser cobrada. Da mesma forma, devemos fazer. Perdoe, solte as pendências, libere favor e graça, caso contrário, sua alegria será roubada“, disse.

Segundo o pastor, a igreja de Filipos era extremamente generosa. “Foi a única que se associou a Paulo em dar e receber. Eles pagaram o salário de Paulo para que ele fosse pastor em corinto. Quando Paulo estava preso em Roma, eles mandaram Epafrodito levar suprimento. Aquela igreja era uma bênção, portas para fora, mas, porta para dentro havia muitas rixas“, disse.

Suplico a Evódia e a Síntique que restabeleçam a boa convivência no Senhor. (Filipenses 4:2)

Para ele, além delas, muitos outros estavam em discussões e contendas e foi lá que Paulo disse:

Completai o meu gozo, para que sintais o mesmo, tendo o mesmo amor, o mesmo ânimo, sentindo uma mesma coisa. Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros. De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; (Filipenses 2:2-9)

Jesus, sendo tão humilhado por pessoas, no momento de maior sofrimento da sua vida, em situação de vergonha e dor, separou um tempo na cruz para levantar os olhos aos céus e pedir ao Pai que não lhes imputasse esse pecado. Tal é a importância do perdão”, ressaltou.

Luis Felipe/CN

3) Dinheiro

Cujo fim é a perdição; cujo Deus é o ventre, e cuja glória é para confusão deles, que só pensam nas coisas terrenas. (Filipenses 3:19)

Dias Lopes, disse que, o dinheiro é o maior ponto de discussão na vida das pessoas, e por causa de dinheiro elas matam, morrem, são corrompidas e vendem a alma ao diabo, pois só se preocupam com as coisas terrenas.

Dinheiro é mais do que uma moeda, mas um mamon, chamado por Jesus de “senhor”. Nessa economia global, mais de 50% das riquezas, concentram-se em poucas empresas, que querem sempre mais do seu dinheiro. E nós entramos num consumismo desenfreado. Hoje, as pessoas consomem muito, porque o luxo do ontem tornou-se a necessidade do hoje. Consumismo é quando você compra o que não precisa, com dinheiro que não tem para impressionar quem você não conhece. Talvez, as pessoas mais felizes, chegam em casa cheirando graxa, comem um prato de arroz e feijão e dormem a noite inteira. O problema não está em ter dinheiro, mas em o dinheiro nos ter“, destacou.

No entanto, os que ambicionam ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitas vontades loucas e nocivas, que atolam muitas pessoas na ruína e na completa desgraça. Porquanto, o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males; e por causa dessa cobiça, alguns se desviaram da fé e se atormentaram em meio a muitos sofrimentos. (1 Timóteo 6:10)

Para ele, o único que tem poder para dar segurança as pessoas, é Jesus. “Portanto, não coloque o seu coração no dinheiro, mas em Jesus e, assim, você será feliz“, afirmou.

4) Ansiedade

Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças; (Filipenses 4:6)

Hernandes destacou que muitos adultos e crianças têm sido alvo desta doença e que o termo “ansiedade” advém do grego “Anshein”, que significa estrangular, oprimir e sufocar.

Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida? (Mateus 6:27)

A ansiedade pode decorrer de um perigo real ou imaginário, gerado por um aumento inesperado de tensão ou desprazer, promovendo sofrimento físico e mental. Esta tensão deve ser aliviada pela entrega e rendição a Deus, por meio da oração“, disse.

Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças; e a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus. (Filipenses 4:6,7)

O pastor destacou que, neste texto, a palavra grega para oração, pode ser traduzida por adoração. “Na adoração, nos aproximamos de Deus pelo o que Ele é. Nas ações de graças, exaltamos a Deus pelo o que Ele faz. Quem Deus é? Qual o seu poder? Deus é aquele que junta as águas de todos os mares em suas mãos, Ele é o Todo Poderoso, Criador de tudo o que existe e se importa com o seu sofrimento. Coloque sua ansiedade aos seus pés e permita o Seu cuidado te abraçar. Imagine, por qual valor você daria pelos seus olhos? Quanto vale seus órgãos? Qual o preço do ar que você respira, quanto vale a sua família? Comece a dar graças por tantas riquezas e a ansiedade vai se retirar”, declarou.

E encerrou sua ministração com a mesma pergunta pessoal que começou a sua ministração. “Normalmente, não gostamos de perguntas pessoais porque elas acabam invadindo a nossa privacidade, nos coloca contra a parede e não queremos que ninguém invada a nossa vida, sem pedir licença. Mas, gostaria que você respondesse essa indagação: você é uma pessoa feliz?“, finalizou.

Luis Felipe/CN

O bispo JB Carvalho finalizou a noite encorajando os presentes a fazerem um exercício de gratidão, porque “dela decorre o fruto da alegria“, lembrou. Para JB, a humildade é a maior das virtudes, e tem uma irmã gêmea: a gratidão.

Que darei eu ao Senhor, por todos os benefícios que me tem feito? Tomarei o cálice da salvação, e invocarei o nome do Senhor. (Salmos 116:12,13)

Agradeça a Deus pela saúde, pela família, pela liberdade, pelo oxigênio, pela chuva, pelos céus“, enfatizou.

Encheste o meu coração de alegria, alegria maior do que a daqueles que têm fartura de trigo e de vinho. (Salmos 4:7)

A gratidão faz de coisas simples, um espetáculo e atrai as melhores oportunidades. O segredo não é correr atrás das borboletas, mas cuidar do jardim. Então, regue bem o seu jardim com muita gratidão“, disse.

por Vanessa Ribeiro
edição Tiago da Silva

Confira o vídeo do sétimo dia do Profetizando 22 no nosso canal no Youtube