Se conecte com as pessoas do seu futuro

Segundo JB Carvalho, Deus está unindo as pessoas com um plano. "Precisamos uns dos outros, em relacionamentos de dependência mútua, equilibrados e saudáveis. Levante os outros com a mesma visão e mova-se com os leões"

Jonathan Marclay/CN

O Culto da Família das 11h da manhã deste domingo (20), começou com adoração da Banda Fluir, liderada por Marcley Vallim, entoaram canções carregadas da presença de Deus.

O profético foi liberado por Esther Hadassa, inspirado em Atos 2:2 “Está vindo do céu um “de repente” de Deus, como no livro de Atos. Há pessoas que se sentem esquecidas por Deus, mas é preciso lembrar que muitos homens e mulheres a quem Deus encontrou pareciam, em certo momento da vida, esquecidos. Mas Deus não se esquece dos seus filhos. Ele não se esqueceu de você“, lembrou.

A palavra de oferta foi ministrada pelo Pr. Thiago Carneiro, baseada em Gênesis 14:18-23, que destacou o encontro de Melquisedeque com Abrão.

Segundo Thiago, Abrão era um homem de princípios, por isso, ele ouvia e obedecia a voz de Deus. “Princípios existem para nos proteger. Ao encontrar com Melquisedeque, ele não queria ficar com nada que não lhe pertencesse. Ele atentava à princípios, e para ele, o que era de Deus era de Deus e o que era do homem à esse lhe pertencia. Abrão permanecia fiel aos princípios do Seu Deus, por essa razão agradava à Deus reproduzir o tipo de homem que Abrão era. Malaquias 3:11 fala que por nossas causa Ele protegerá o devorador e tornará a nossa terra uma terra fértil (não mais estéril) e a nossa vide será frutífera. Esse é o valor de obedecer à princípios estabelecidos na palavra de Deus“, declarou.

O coração que decide se alinhar é encontrado por Deus

Pr. Thiago Carneiro

Em seguida, o bispo JB Carvalho começou a sua ministração, inspirada em Apocalipse 8: 1-5:

E, havendo aberto o sétimo selo, fez-se silêncio no céu quase por meia hora.
E vi os sete anjos, que estavam diante de Deus, e foram-lhes dadas sete trombetas.
E veio outro anjo, e pôs-se junto ao altar, tendo um incensário de ouro; e foi-lhe dado muito incenso, para o pôr com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro, que está diante do trono. E a fumaça do incenso subiu com as orações dos santos desde a mão do anjo até diante de Deus. E o anjo tomou o incensário, e o encheu do fogo do altar, e o lançou sobre a terra; e houve depois vozes, e trovões, e relâmpagos e terremotos.

Quando a sétima trombeta toca, os reinos deste mundo se tornam do Cristo (Apocalipse 11:15)

Segundo JB Carvalho, quando o cálice da oração se enche, a resposta do céu é dramática. “Há uma resposta incrível da parte de Deus. Há um acúmulo de orações e informações celestiais, cujo mover está sendo liberado nesse tempo. Orações movem o céu! O que acontece com as horas de intercessão proferidas por grandes homens e mulheres de Deus de outrora? Elas estão armazenadas no céu para serem liberadas no tempo oportuno“, disse.

Oração

O bispo destacou que sob a descendência de Davi havia um depósito por conta da sua oração. “Deus tem uma promessa para a nossa descendência por conta das orações intercessórias. Isaías 59 diz que Deus vai levantar o seu estandarte, como uma bandeira sobre nós, Yaweh – Nissi. Apesar do dilúvio de águas do inimigo, Deus está levantando a Sua bandeira“, profetizou.

Ageu fala que Deus fará tremer todas as nações, e o desejado das nações então virá. Tudo que as Nações querem e precisam é o Leão de Judá; Jesus é o que as Nações genuinamente querem. Apocalipse 20 diz que saiu satanás a enganar as Nações; todavia antes, ele enganou a igreja. A igreja deveria estar às portas do inferno, prevalecendo“, afirmou.

JB Carvalho ressaltou que Saint Patrick ganhou a Irlanda para Jesus porque influenciou os formadores de opinião daquela nação. “Há como uma cortina, uma cegueira coletiva, o “zeiltgeist”, o espírito do tempo, do Pós-modernismo, que nos leva a viver para si, buscando ser o centro“, disse.

O evangelho do reino é a retirada do véu. E começa pela igreja

JB Carvalho

A sua atitude diante da tentação define o seu ponto de promoção

Para JB, batalhas particulares são significativas para vitórias públicas. “A colisão com os poderes do inimigo, com aquilo que nos afronta, se relaciona com a sua área de influência. Toda guerra começa em nossa própria casa, a “oikos”. A batalha que enfrentamos é a batalha que nascemos para vencer. Deus não nos coloca em batalhas que não estejamos prontos para suportar. Sua promoção está condicionada à você aceitar a fazer a prova“, disse.

JB ainda lembrou que Paulo disse à Timoteo: Lute o bom combate. Lute, pois pelo futuro que Deus tem revelado é pelas palavras proféticas recebidas por Deus. “Deixe o seu futuro mudar o seu presente. Nós estamos em uma ponte entre as Eras. Existem promessas de Deus, em Sua palavra para as pessoas que abraçam o seu propósito. A chave do seu progresso, por vezes é interpretar o sonho de seu líder. Seu sonho deve estar dentro de um sonho maior. José realizou os sonhos de outrem para ter seus sonhos cumpridos“, pontuou.

Tudo o que conseguimos superar na vida se torna um ministério

Conforme JB, por vezes é necessário passar por algumas experiências antes de receber explicação. “Esperança significa vai fazer sentido. José foi colocado em uma cisterna, vendido como escravo, atacado pela mulher de Potifar e foi preso injustamente. José não perdeu seu caráter, sua doçura, sua ternura; portanto não se vingou de seus irmãos. Tudo aquilo que vencemos na vida nos habilita ao ministério, ao serviço“, afirmou.

Só podemos conduzir outros onde fomos levados

O bispo explicou que, o pós-modernismo traz uma “elite iluminada” apontando o que é a verdade. “A essência da ilegalidade é que não existe um padrão de certo e errado. É esse padrão que tem sido ensinado às futuras gerações. A justiça se reflete pelo incômodo com os valores distorcidos da atual sociedade. Quando o governo de Deus se levanta, os valores mudam“, disse.

Montanhas são a expressão bíblica para lugares de autoridade

JB destacou que o topo das montanhas são as portas (portões), os lugares de influência. “Portas são lugares de governo. São os lugares de autoridade e o controle é exercido nesses lugares. Onde estão as portas do inferno em nossa sociedade? É lá, portanto que deveremos, como cristãos, influenciar e prevalecer. A primeira porta é a porta para a sua mente, a conquista do seu coração. Ver o futuro de uma maneira trágica, é retirar Deus do quadro. É preciso sair do modo sobrevivência. Nós fomos chamados para anunciar que Jesus reina! Nossa luz está aumentando!“, afirmou.

Cultura de oração

Uma consagração especial está surgindo nessa geração, uma descendência poderosa, uma geração com uma cultura de oração! A figura a igreja é um povo santo, que saqueia o inferno, ocupa os portões e é destemido! A consciência da presença de Deus é a chave para viver poderosamente. As portas do inferno não prevalecerão contra a igreja. Se nos mantivermos firme, mantendo a posição de avanço, prevaleceremos sobre o inimigo! Deus está unindo as pessoas com um plano. Precisamos uns dos outros, em relacionamentos de dependência mútua, equilibrados e saudáveis. Chegou a hora de se conectar com as pessoas do seu futuro. Levante os outros com a mesma visão e mova-se com os leões“, profetizou.

Antes de encerrar, o bispo declarou que Deus está liberando uma chave de autoridade para os portões. “Para que possamos subir à montanha do eu, do nosso ego, e prevalecer. Que possamos subir às montanhas e proclamar as boas-novas. Nós estamos avançando, e como Calebe estamos dizendo: dá-me a minha montanha! Deus está levantando pessoas que não tem uma etiqueta de valor em suas vidas, mas antes, não negociam valores. Deus está chamando gente indômita, leões, guerreiros. Pessoas com visão de futuro, para influenciar e prevalecer“, finalizou.

por Ana Seligmann
edição Tiago da Silva