Cortes celestiais

JB Carvalho revela que o trono de Deus, além de ser um lugar de adoração é, também, um lugar de atividade judicial. Segundo o bispo, atos e palavras, podem embasar acusações inimigas, que retém a bênção e o propósito de Deus sobre os filhos

E contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer,
Dizendo: Havia numa cidade um certo juiz, que nem a Deus temia, nem respeitava o homem.

Havia também, naquela mesma cidade, uma certa viúva, que ia ter com ele, dizendo: Faze-me justiça contra o meu adversário.
E por algum tempo não quis atendê-la; mas depois disse consigo: Ainda que não temo a Deus, nem respeito os homens,

Todavia, como esta viúva me molesta, hei de fazer-lhe justiça, para que enfim não volte, e me importune muito.
E disse o Senhor: Ouvi o que diz o injusto juiz.
E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles?
Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?
Lucas 18:1-8

O ministério da oração deveria ser o primeiro, na vida de cada cristão. Antes de ser um pastor ou bispo, eu sou um intercessor.
Jesus, por vinte vezes, disse: ouvistes o que foi dito; eu porém, vos digo.
O que Jesus disse sobre oração? Em primeiro lugar, nós somos filhos, que nos dirigimos ao encontro do nosso pai. Mas, além de filhos, somos amigos, à procura de outro amigo. Jesus não nos chama de servos, mas de amigos, assim como Abraão foi chamado de amigo de Deus.
Notamos que, em nenhum momento, Jesus comparou a oração a um campo de batalha.
Em terceiro lugar, verificamos que Jesus apresenta a oração como parte de um processo judicial. Se na parábola existe a figura de um juiz injusto, nós podemos entender que podemos nos direcionar ao justo juiz de toda a terra.
Apelamos à corte suprema do universo. Deste juízo, são emitidos vereditos divinos, que alteram as circunstâncias de acordo com as evidências que lhe são apresentadas.

Eis que o salário dos trabalhadores que ceifaram os vossos campos e que por vós foi retido com fraude está clamando; e os clamores dos ceifeiros penetraram até aos ouvidos do Senhor dos Exércitos. Tiago 5:4

O trono, além de ser um lugar de adoração, é um lugar de atividade judicial.
Veja:

Então me disse: Não temas, Daniel, porque desde o primeiro dia em que aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras; e eu vim por causa das tuas palavras.
Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu vinte e um dias, e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia.
Agora vim, para fazer-te entender o que há de acontecer ao teu povo nos derradeiros dias; porque a visão é ainda para muitos dias.
Daniel 10:12-14

Quando olhamos para a experiência de Daniel, a palavra diz que, desde o primeiro dia, mesmo sem qualquer indício de resposta, a oração de Daniel tinha sido ouvida. Mesmo sem evidências, o anjo atesta que suas palavras não foram em vão.
Verificamos, então, que sua oração movem os céus, fazendo com que Deus expeça um mandado através de um anjo, que é interpelado no meio do caminho. Ele, Daniel, cresce em oração, fornece mais subsídios, respalda sua petição e fortalece o movimento do anjo que, finalmente, chega com a resposta.
O anjo atesta como seu clamor, provocou uma batalha espiritual.
Quando oramos, ocorre um conflito espiritual. As armas da nossa milícia são espirituais. Assim como não entramos nos tribunais com bombas, mas com argumentos fundamentados, nós não vencemos nossas guerras com a força do nosso braço.

Um rio de fogo manava e saía de diante dele; milhares de milhares o serviam, e milhões de milhões assistiam diante dele; assentou-se o juízo, e abriram-se os livros. Daniel 7:10

Deus se assenta no tribunal, a fim de fazer a justiça prevalecer na terra.

E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a lei; e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo.
Mas o juízo será estabelecido, e eles tirarão o seu domínio, para o destruir e para o desfazer até ao fim.
E o reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o céu serão dados ao povo dos santos do Altíssimo; o seu reino será um reino eterno, e todos os domínios o servirão, e lhe obedecerão.
Daniel 7:25-27

Eles sofriam, até que um trono estabelecido no céu, lança um veredito.

E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora é chegada a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos é derrubado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite. Apocalipse 12:10

Neste texto vemos a figura do acusador, que reclama o cumprimento da lei.

Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; 1 Pedro 5:8

O termo “adversário”, se refere a alguém que levanta uma acusação contra nós, em juízo. Ele vem para nos desqualificar, para alegar a falta de arrependimento.
Nossos pecados fornecem provas que fundamentam a acusação do inimigo. Temos que lidar contra esses argumentos.

Justiça e juízo são a base do teu trono; misericórdia e verdade irão adiante do teu rosto. Salmos 89:14

Quando precisamos de uma bênção, o acusador interrompe o processo de recebimento, com as alegações dos nossos atos tortuosos. São falhas que impedem o fluxo da resposta.
Precisamos lidar com as ofensas, com as injustiças e com o pecado

JB Carvalho

Veja este texto:

Durante o reinado de Davi houve uma fome que durou três anos. Davi consultou o Senhor, que lhe disse: “A fome veio por causa de Saul e de sua família sanguinária, por terem matado os gibeonitas”. O rei então mandou chamar os gibeonitas e falou com eles. (Os gibeonitas não eram de origem israelita, mas remanescentes dos amorreus. Os israelitas tinham feito com eles um acordo sob juramento; mas Saul, em seu zelo por Israel e Judá, havia tentado exterminá-los). 2 Samuel 21: 1,2

A aliança feita com os gibeonitas estavam falando perante o tribunal, através de gerações. Nós colhemos as consequências das decisões erradas, das gerações passadas.
Quando a igreja falha no seu papel sacerdotal e profético, o juízo é atraído.
Abraham Lincoln acreditava que a guerra civil Americana foi consequência de a igreja ter permitido os horrores da escravidão.
A base de um direito legal, para a opressão demoníaca na bíblia ou em um território, está na injustiça. As fortalezas satânicas são construídas com contendas, litígios, ódios e amarguras. Antes de tentar expulsar demônios, precisamos lidar com o pecado, que assola o coração.
Os sacerdotes da reconciliação estão brigando entre si, com rixas e contendas. Nossas armas são o perdão e a reconciliação, enquanto as armas do diabo são acusação e decepção.

(…) a fim de que Satanás não tivesse vantagem sobre nós; pois não ignoramos as suas intenções. 2 Coríntios 2:11

Se satanás conseguir te manter na margem da ofensa, ele conseguiu o que queria. É na ferida que os demônios se alojam. É preciso estar limpo diante de Deus, é preciso levar as faturas à cruz.
Os argumentos do diabo são desfeitos por meio do arrependimento.

Carlos David/CN

Três argumentos que retém as orações:

  • Pecado pessoal

Se eu atender à iniquidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá; Salmo 66:18

Precisamos quebrar os padrões de iniquidade. Não permita que o inimigo tenha acesso e influência em seu território. Livra-te do inimigo por meio do arrependimento e da confissão.
A gênese de todo problema social é a morte do casamento que advém da infidelidade conjugal. Cuidado. Deus julgará os adúlteros.
Precisamos obter a absolvição, por meio do arrependimento. Apenas depois, os demônios serão expulsos.

Jesus disse:

Já não falarei muito convosco; porque se aproxima o príncipe deste mundo, e nada tem em mim; João 14:30

Dirija-se à corte celestial, arrependa-se das palavras erradas, leve seus filhos em oração.

Digo-vos que de toda palavra frívola que proferirem os homens, dela darão conta no Dia do Juízo; porque, pelas tuas palavras, serás justificado e, pelas tuas palavras, serás condenado. Mateus 12:36-37

Alguns, pecam com as palavras, ferem como espada, causam grandes estragos.

Quem é o homem que deseja a vida, que quer largos dias para ver o bem?
Guarda a tua língua do mal, e os teus lábios de falarem o engano.
Aparta-te do mal, e faze o bem; procura a paz, e segue-a.
Os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos atentos ao seu clamor.
A face do Senhor está contra os que fazem o mal, para desarraigar da terra a memória deles.
Os justos clamam, e o Senhor os ouve, e os livra de todas as suas angústias.
Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado, e salva os contritos de espírito.
Muitas são as aflições do justo, mas o Senhor o livra de todas.
Salmos 34:12-19

Procure a paz e empenha-te por alcançá-la. O diabo alimenta-se de palavras, para ter argumentos contra, você diante de Deus. Arrependa-se!

  • Motivações erradas

Na história de Jó, vemos que o diabo anda pela terra à procura de provas e evidências. Para resistir a vontade de Deus em sua vida, o diabo só precisa que você seja egoísta e carnal.
No contexto, o ele coloca em xeque as motivações de Jó, dizendo: sua fidelidade é decorrente das bençãos.

Os meus amigos são os que zombam de mim; os meus olhos se desfazem em lágrimas diante de Deus.
Ah! se alguém pudesse contender com Deus pelo homem, como o homem pelo seu próximo!
Jó 16:20,21

Jó queria um advogado, mas, nós sabemos o final. Ele obteve a aprovação em meio à prova. Enquanto Jó orava pelos seus amigos, Deus restaurou a sua sorte.
Lembro de uma oração que fiz há anos, concedendo uma absolvição aos meus amigos. Eu depus a favor deles, perante o tribunal de Deus, concedendo favor. Não estaria aqui, com uma atitude diferente. Encerrei o meu litígio, pacifiquei meu coração, arquivei o processo.

Encerre seu litígio, acabe com suas broncas. O princípio bíblico é termos paz com todos os homens. Encerre seus processos, desfaça os argumentos do inimigo. Cesse as fofocas, porque nos envolvemos em guerras, quando criticamos. Elas drenam energias e recursos. Encerrar o caso é não falar mais nada sobre o assunto. Dê o seu testemunho, para os tribunais do céu. Compareça à audiência, remova as sentenças e julgamentos, porque somos medidos da mesma forma com que medimos. O perdão é uma arma poderosa

JB Carvalho

Jesus disse: “Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo”. Lucas 23:34

Apenas quem está crucificado com Cristo é capaz de comparecer perante o juiz, com uma solicitação assim. Pode doer, mas a falta de perdão vai adoecer você. Não é apenas por causa da outra pessoa, mas por sua causa. A falta de perdão dá acesso aos verdugos, para que atormentem.

Encerre o processo

Acabe com a questão. Não forneça material ao inimigo. Quando Labão reclamou a Jacó os seus deuses, ele emitiu um decreto de morte, pois jurava que ninguém havia furtado.

Agora, se você partiu porque tinha saudade da casa de seu pai, por que roubou meus deuses?” Jacó respondeu a Labão: “Tive medo, pois pensei que você tiraria suas filhas de mim à força. Quanto aos seus deuses, quem for encontrado com eles não ficará vivo. Gênesis 31: 30-32

Mais tarde, vemos que as palavras de Jacó geraram a morte de Raquel. As palavras permanecem vivas e podem ser elementos de prova, contra nós.
A maldição sem causa não prospera, mas é preciso lidar com aquelas que possuem motivo.
Purifique o seu coração, porque os céus estão te observando. Somos um espetáculo aos anjos. Precisamos de um veredito positivo.

  • Pecados cometidos pelos nossos antepassados

Temos exemplos de textos que mostram a necessidade de nos arrepender dos pecados cometidos nas gerações passadas. Quando fazemos isso, limpamos o céu. Limpamos o caminho, quando clamamos por remissão.
Somos afetados pelas decisões daqueles que viveram antes de nós. Remova o direito legal, quebre os pactos com o inimigo, feitos pelas gerações passadas.
A princípio, não nos dirigimos ao acusador, nem ao adversário. Falamos com o juiz, apresentamos argumentos de defesa. Apenas depois de uma sentença favorável, estamos assegurados em nossos direitos.

Ah! quem me dera um que me ouvisse! Eis que o meu desejo é que o Todo-Poderoso me responda, e que o meu adversário escreva um livro. Jó 31:35

Nós temos um advogado no céu, nós temos o Espírito Santo que nos auxilia. Remova qualquer acusação por meio do arrependimento.
No episódio de Lázaro, vemos que Jesus, antes de ressuscitá-lo, comparece perante o Pai em oração. Antes de ordenar que a morte se retire, Jesus se dirige ao trono da graça.
A ressurreição acontece em duas fases: a intercessão e o decreto. Nós somos sacerdotes e reis. Sacerdotes intercedem e reis decretam. Precisamos de respaldo, para enfrentarmos a guerra.
Hoje, por meio do sangue de Jesus, desfazemos toda acusação. Deus não nos julga, mas afasta as consequências do pecado, quando nos dirigimos a Ele. É isso que um intercessor faz.

Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus,
Pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne,
E tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus,
Cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado com água limpa,
Retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu.
Hebreus 10:19-23

Isso que a igreja faz pela nação. Ao invés de falar o problema e reclamar do governo, ela comparece perante o trono, clamando: Senhor, perdoa os nossos pecados e redime a nossa terra!

E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra. 2 Crônicas 7:14

Voltando ao texto inicial:

E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles? Digo-vos que depressa lhes fará justiça.

A oração perseverante desfaz o processo de acusação. Quando quebramos o argumento do inimigo, não há nada que possa impedir a materialização da promessa.
Tire a barreira do seu milagre. Remova as acusações malignas e receba o veredito que sai do monte calvário.
Aprenda a operar perante as cortes celestiais. Não adianta querermos lutar, em desobediência. Foi isso que Acã fez:

Mas os israelitas foram infiéis com relação às coisas consagradas. Acã, filho de Carmi, filho de Zinri[a], filho de Zerá, da tribo de Judá, apossou-se de algumas delas. E a ira do Senhor acendeu-se contra Israel. Josué 7:1

Por este motivo, Israel perdeu a batalha. Josué, sem entender, clamou ao Senhor. Ele, então, respondeu:

O Senhor disse a Josué: “Levante-se! Por que você está aí prostrado? Israel pecou. Violou a aliança que eu lhe ordenei. Apossou-se de coisas consagradas, roubou-as, escondeu-as e as colocou junto de seus bens. Por isso os israelitas não conseguem resistir aos inimigos; fogem deles porque se tornaram merecedores da sua destruição. Não estarei mais com vocês, se não destruírem do meio de vocês o que foi consagrado à destruição.
“Vá, santifique o povo! Diga-lhes: Santifiquem-se para amanhã, pois assim diz o Senhor, o Deus de Israel: Há coisas consagradas à destruição no meio de vocês, ó Israel. Vocês não conseguirão resistir aos seus inimigos enquanto não as retirarem.
Josué 7:10-13

O pecado de Acã fez toda a nação perder. Uma medida de fermento leveda a massa inteira, por isso, o erro não pode ser tolerado em nenhuma liderança.
Tudo o que está escrito no céu, a nosso respeito, será realidade na terra, quando tivermos uma vida clara e transparente. Deus quer nos oportunizar as melhores bençãos.

E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até à morte. Apocalipse 12:11

Vencemos o acusador pelo perdão, pelo sangue, pela graça, pelo testemunho, por não amar a própria vida mesmo em face da morte

JB Carvalho

O que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia. Provérbios 28:13

Quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu a si mesmo imaculado a Deus, purificará as vossas consciências das obras mortas, para servirdes ao Deus vivo? Hebreus 9:14

Diga: eu enterrei o meu antigo “eu” e não visito o túmulo!

Carlos David/CN

Profético:

Se quisermos viver uma vida vitoriosa, teremos que comparecer ao tribunal com o depoimento certo. Não na força do nosso braço, mas crendo que o justo juiz fará justiça.
Alguns idolatram seus desejos. Quando Deus for o seu primeiro plano, as demais coisas serão acrescentadas.
Arrependa-se das palavras ríspidas ditas no seu ambiente familiar. Arrependa-se da forma como você trata os seus subordinados, das críticas feitas às escondidas. Deus aborrece o mal e condena a boca perversa. Queres viver muito, para ver o bem? Aparta a tua língua do mal, pois o acusador quer motivos para embasar suas acusações.
Não insista com o pecado. A melhor forma de esquecer algo, é não tocar mais no assunto. Não lembre às pessoas aquilo que você deseja esquecer.
Faça o retorno, alinhe seu destino, faça seu depoimento, libere o coração da ofensa, cale a crítica, arrependa-se de ter falado mal. Você não é do ministério da acusação, mas da intercessão. Não destrua a reputação alheia. Perdoe e peça perdão.

Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia. Porque a tua mão pesava dia e noite sobre mim, e o meu vigor se tornou em sequidão de estio. Confessei-te o meu pecado e a minha iniquidade não mais ocultei. Disse: confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a iniquidade do meu pecado. Salmos 32:3-5

Exponha-se, confesse, abra-se. Ande na luz, como na luz Deus está e o sangue de Jesus te purificará de todo pecado.
Temos um juiz, um intercessor e um ajudador. O preço foi pago. Jesus tornou-se réu, condenado e pagou o preço do nosso pecado, para nos reconciliar com o Pai.

por Vanessa Ribeiro

Confira esta mensagem no Youtube e também em podcast