A ÚLTIMA HORA

Mas essas coisas estão acontecendo a muito tempo. Antes de nossa geração surgir, guerras terríveis aconteceram, pestes e terremotos dizimaram milhares, falsos cristos e falsos profetas apareceram. O apocalipse não aponta para o fim do mundo, mas para a vitória de Jesus e da sua igreja. Boa parte das profecias bíblicas já estão cumpridas, existe uma parte se cumprindo agora e outra parte ainda irá se cumprir. Isso na teologia é chamado de “historicismo” ou “preterismo parcial”. Somente no final do século XIX é que o futurismo se populariza colocando a maior parte das profecias sempre à frente de nosso tempo. Mas estou convicto que em 2000 anos de história, muito do que foi dito já está cumprido. Hoje, quando algo ruim acontece, muitos cristãos dizem: “é o fim dos tempos”. Mas, veja o que diz o apóstolo João, ainda no primeiro século de nossa era:

Filhinhos, já é a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também, agora, muitos anticristos tem surgido; pelo que conhecemos que é a última hora. 1 João 2. 18

Essa é a última hora! Quando? Quando João ainda estava vivo!

Outro apóstolo reitera o mesmo princípio:

Então, se levantou Pedro, com os onze; e, erguendo a voz, advertiu-os nestes termos:… o que ocorre é o que foi dito por intermédio do profeta Joel: E acontecerá nos últimos dias, diz o Senhor, que derramarei do meu Espírito sobre toda a carne… Atos 2.14,16-17

E acontecerá nos últimos dias…

Pedro está falando que aquele episódio que eles testemunham é o início dos últimos dias como previsto pelo profeta Joel.

Mais um apóstolo nos fala sobre isso:

Sabe, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, pois os homens serão egoístas… tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder. Foge também destes. II Timóteo 3.1-2,5

Ao mesmo tempo em que Paulo nos fala dos dias com tempos difíceis, declara a Timóteo para fugir deles (em especial, os que parecem piedosos, mas que não possuem poder espiritual). Timóteo não poderia fugir de algo que já não estivesse acontecendo. Eles já estavam vivendo aqueles dias a que Paulo se referia.

O mundo está piorando?

Hoje as pessoas acreditam que tudo está ficando pior do que era antes, mas o engraçado é que ninguém quer voltar e viver no passado.

A vida nos tempos de Jesus era dura. Nos primeiros séculos da nossa era, a violência grassava não somente entre os bárbaros, mas principalmente entre os romanos. Não eram tempos fáceis de viver. Você acha que a tentativa do governo de aprovar o aborto é sinal dos tempos? O que você pensa de um império que matava seus bebês sem culpa? A moralidade do Império Romano do primeiro século tinha como prática comum o aborto seletivo (bebês mulheres, por vezes eram assassinados ao nascer). Rodney Stark, professor de sociologia e religião comparada da Universidade de Washington diz que por volta do ano 200 DC, havia 131 mulheres para cada 100 homens em Roma. Stark diz que foi a fé cristã que garantiu a unidade da família pela proibição do divórcio, do incesto, da poligamia e do aborto. Foi o avanço da fé cristã que libertou o império e os bárbaros das suas práticas demoníacas. A igreja não dizia: é o fim dos tempos. Ela se levantou e agiu. Hoje existem “progressistas” que desejam voltar ao barbarismo e matar nossos bebês. Eles parecem ganhar terreno, mas não por muito tempo. O salmo 2 diz que Deus está rindo nos céus dos príncipes que se reúnem contra o Senhor e seu Ungido. Nós vamos prevalecer! Nessa ou na próxima geração, vamos virar essa página.

Mas, haverá fé na terra quando o filho do homem vier? Para alguns a pergunta de Jesus aos discípulos traz uma resposta negativa. Para eles, não é nem mesmo uma pergunta, mas uma resposta. “Ahh, o mundo ficará cada vez pior…”

Para nós que cremos, a pergunta de Jesus é um desafio para crer. Somos chamados para ser a resposta aos problemas desse mundo.

Guerras, fomes, terremotos…

Já tivemos mais de 14 mil guerras na história. Terremotos aos milhares nos últimos 2000 anos, E o que dizer dos falsos cristos?

A lista dos falsos messias na história é bem grande. Veja somente 3 deles.

Simão Bar Kokhba foi o líder da revolta contra os romanos entre os anos 133 e 135. Kokhba foi reconhecido como Messias pelos principais rabinos de sua época. Marchou contra as tropas de Adriano e acabou destroçado. Jesus disse: não os sigais!!

Moisés o cretense, (não era seu verdadeiro nome) prometeu levar o seu povo de volta à Israel atravessando o mar. Sob o seu comando, muitos se lançaram para o mar, morrendo afogados. O falso cristo desapareceu.

David Alroy por volta de 1160 declarou-se o Messias e prometendo libertar os Judeus da opressão dos muçulmanos. Foi assassinado, enquanto dormia, pelo seu próprio sogro e pesados tributos foram postos aos Judeus após a revolta.

A expectativa de vida está crescendo e não diminuindo. Isaias nos fala de um tempo em que morrer cedo seria morrer com cem anos. No século XIX, uma infecção matava facilmente qualquer pessoa. A penicilina é uma descoberta recente. Não havia antibióticos. 

Entre os anos 165 e 180 a peste matou cerca de um terço da população do Império Romano. Uma peste com duração de 15 anos que ceifou milhares de vidas, incluindo o próprio imperador Marco Aurélio. Em 251, mas alguns milhares morreram por outra peste. Entre os anos de 1347 e 1351, a peste negra dizimou metade da população europeia. A pandemia da gripe espanhola de 1918-19 afetou até um terço da população global. Será que os crentes daqueles dias diziam também: “é o fim dos tempos”? Acho que sim!

Podem acontecer outras epidemias? É claro que sim.
E o anticristo? Cada geração tem seu anticristo.
Pode vir um novo anticristo agora? Acredite, há muitos candidatos para pouca vaga. A oferta é menor que a procura.

E guerras e terremotos continuarão acontecendo? Sim!

São as dores de parto. Elas ficarão cada vez mais frequentes.

Paulo diz que a ardente expectativa da criação geme, esperando a manifestação dos filhos de Deus. (Romanos 8.19)

Pedro diz que os céus O detém (Jesus) até o tempo da restauração de todas as coisas. (Atos 3.21-23).

Precisamos olhar para a história com uma visão progressiva. Deus está ganhando sempre. Ele está conduzindo a história ao seu clímax.